quarta-feira, 23 de julho de 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA O CARGO DE TÉCNICO TRIBUTÁRIO DA RECEITA ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL - SEFAZ - PROVA OCORRIDA EM 20 DE JULHO DE 2014

COMENTÁRIOS E RESPOSTAS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO CONCURSO PARA TÉCNICO TRIBUTÁRIO DA RECEITA ESTADUAL – SECRETARIA DE FAZENDA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL – BANCA DA FUNDATEC – PROCESSO DE SELEÇÃO OCORRIDO NO DIA 20 DE JULHO DE 2014 Questão 01 – regência, crase e emprego do verbo “haver” O advérbio “daqui” em geral não rege preposição. No caso específico da expressão “Daqui a pouco”, está regendo preposição “a”, mas a palavra “pouco” é advérbio, que não aceita artigo. Portanto, na lacuna da linha 07, deve aparecer apenas a preposição “a”. Errada a assertiva I. No caso da lacuna da linha 14, o adjetivo “ligados” rege preposição “a”, e a palavra “estratégia” é feminina, exigindo artigo “a”. Dessa forma, estão presentes as partes componentes da crase, devendo a lacuna ser preenchida por “à”. Errada a assertiva II. Nas lacunas das linhas 17 e 27, os adjetivos “dedicado” e “ligados” regem preposição “a”, mas, nos dois casos, as palavras que lhes seguem são masculinas (“temas” e “assuntos”), portanto não aceitam artigo definindo feminino. Nas duas situações, portanto, deve aparecer apenas a preposição “a”. Correta a assertiva III. Na lacuna da linha 44, deve aparecer a forma “há” (do verbo “haver”), porque está empregado como “existe”. Correta a assertiva IV. RESPOSTA: B. _______________________________________________________________________ Questão 02 – semântica e interpretação de texto No trecho “Mais tempo para socializar nas redes sociais” (l. 03), o termo “socializar” (destacado na transcrição) pode ser substituído por “sociabilizar”, porque atende à necessidade semântica do termo “socializar”, especialmente no sentido empregado, que é o de interagir de forma social. A primeira proposta de substituição, portanto, mantém o sentido da mensagem original. Com relação ao emprego de “fissurados”, destacado no trecho “... fissurados por uma rotina de correria e afazeres táticos” (l. 09-10), está empregado como “pressionados”, “obrigados a”, não sendo substituível, portanto, por “fendidos”, que significa “que tem fenda”, “rachados”. A segunda proposta de substituição, portanto, não mantém o sentido da mensagem original. O vocábulo “paradoxo”, destacado no trecho “Mas eis que o paradoxo aumenta: quanto mais tempo queremos, pior administramos o que temos” (l. 12-13), significa “falta de lógica” ou “contradição”. Nesse caso, não pode ser substituído por “metáfrase”, que significa expressão de um texto com outras palavras. A terceira proposta de substituição, portanto, não mantém o sentido original da mensagem. O termo “performance”, destacado no trecho “Estou falando de temas que podem gerar uma diferença significativa em termos de performance” (l. 15), que significa resultado de avaliação de desempenho, não pode ser substituído por “incipiência”, cujo significado é o estado ou a condição de quem está iniciando. A quarta proposta de substituição, portanto, não mantém o sentido original da mensagem. RESPOSTA: D. _______________________________________________________________________ Questão 03 – tempos e modos verbais No trecho “Queremos mais tempo...” (l. 03), a forma verbal destacada está conjugada no presente do indicativo, na 1ª pessoa do plural: eu quero nós queremos tu queres vós quereis ele(a) quer eles(as) querem A forma do verbo “querer”, na 1ª pessoa do plural do imperativo afirmativo, é “queiramos”, portanto está errada a assertiva I. A forma verbal “tivéssemos”, destacada no trecho “Mas se tivéssemos mais tempo...” (l. 35), está conjugada no pretérito imperfeito do subjuntivo: se eu tivesse se nós tivéssemos se tu tivesses se vós tivésseis se ele(a) tivesse se eles(as) tivessem Não existe o tempo verbal “pretérito mais-que-perfeito do subjuntivo”. O tempo verbal pretérito mais-que-perfeito pertence ao modo indicativo. O modo subjuntivo é formado por três tempos verbais: presente, pretérito imperfeito e futuro. Errada, dessa forma, a assertiva II. No trecho “A forma como decidimos e alocamos o tempo para nossas rotinas...” (l. 39), o verbo destacado está conjugado no presente do indicativo: eu aloco nós alocamos tu alocas vós alocais ele(a) aloca eles(as) alocam Se estivesse conjugada no futuro do pretérito do indicativo, apresentaria a forma “alocaríamos”: eu alocaria nós alocaríamos tu alocaria vós alocaríeis ele(a) alocaria eles(as) alocariam Está correta, portanto, a assertiva III. RESPOSTA: C. Questão 04 – emprego e colocação de pronomes No trecho “Trata-se da fome...” (l. 01-02), o pronome destacado funciona como índice de indeterminação do sujeito, porque o verbo “tratar” está empregado como transitivo indireto. O pronome “se”, quando for empregado junto a verbo transitivo indireto, funcionará como indeterminador do sujeito. No caso, está empregado em ênclise (= pronome depois do verbo), e não em mesóclise (= pronome no meio do verbo), que só ocorreria se o verbo estivesse conjugado no futuro do presente ou do pretérito. E, por fim , não há relação entre a colocação do pronome “se” e a transitividade do verbo. Errada, portanto, a assertiva I. Na sequência “... ou com os relatórios cujos deadlines (ou não)...” (l. 20-21), o pronome destacado é relativo e estabelece ligação de posse entre “relatórios” (elemento antecedente possuidor) e “deadlines” (elemento subsequente e possuído). Correta a assertiva II. No trecho “Mas se tivéssemos...” (l. 35), a palavra sublinhada não é pronome reflexivo, mas conjunção subordinativa adverbial condicional. Nem se pode argumentar em relação ao seu deslocamento. Errada a assertiva III. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 05 – diversos aspectos gramaticais e sintáticos No trecho E acabamos tendo ainda menos tempo para nossos maridos, mulheres, namorados, filhos e pais; justamente as pessoas que têm maior importância em nossas vidas. E mesmo quando conseguimos tempo com eles, estamos sempre com o celular na mão [...] (l. 24-26), a expressão “as pessoas” poderia ser substituída pelo pronome “os”, mantendo-se o sentido original do fragmento. Observe-se com a alteração: E acabamos tendo ainda menos tempo para nossos maridos, mulheres, namorados, filhos e pais; justamente os que têm maior importância em nossas vidas. E mesmo quando conseguimos tempo com eles, estamos sempre com o celular na mão [...]. A troca é possível porque o pronome “os” está retomando “maridos, mulheres, namorados, filhos e pais”, substantivos masculinos no plural. Correta a assertiva I. Quanto ao verbo “ter”, no segmento “as pessoas que têm”, o acento circunflexo indica o plural, já que o sujeito é “as pessoas”. O acento, portanto, não pode ser suprimido. Errada a assertiva II. No segmento “E mesmo quando conseguimos tempo com eles”, a supressão da expressão “com eles” provocaria alteração de sentido, porque a mensagem não indicaria que o tempo foi conseguido com os “nossos maridos, mulheres, namorados, filhos e pais”, mas conseguido de forma indefinida. Errada a assertiva III. As vírgulas no segmento “nossos maridos, mulheres, namorados, filhos e pais” separam elementos de igual função sintática, ou itens de uma série, não orações justapostas. Observe-se que as vírgulas não separam segmentos com verbos, logo não são orações. Errada a assertiva IV. RESPOSTA: A. ___________________________________________________________________________________ Questão 06 – orações No trecho “Time Famine é uma expressão recente que diz muito sobre a rotina que vivemos hoje em dia” (l. 01), o segmento “Time Famine é uma expressão recente” é a oração principal de todo o período transcrito. Correta a assertiva I. As orações “que diz muito sobre a rotina” e “que vivemos hoje em dia” são ambas subordinadas adjetivas restritivas. A primeira está subordinada à principal, e a segunda, à anterior. Errada, portanto, a assertiva II. Na primeira oração iniciada por “que”, o referente é “expressão recente”; na segunda, o referente é “rotina”, portanto os referentes são diferentes. Errada a assertiva III. No período, há, como se viu nas explicações anteriores, três orações, sendo a primeira a principal (“Time Famine é uma expressão recente”) e duas orações subordinadas adjetivas restritivas (“que diz muito sobre a rotina” e “que vivemos hoje em dia”). Errada a assertiva IV. RESPOSTA: D. _______________________________________________________________________ Questão 07 – interpretação de texto Falsa a primeira afirmação, porque o autor afirma que a rotina de correria e dos afazeres táticos nos leva a ter dificuldades na administração do tempo. Não somos, portanto, impelidos a destinar nosso tempo apenas a afazeres táticos. Verdadeira a segunda afirmação, porque o paradoxo de que trata o autor está relacionado, em parte, ao modo como administramos nosso tempo. A sustentação dessa afirmação pode ser constatada na afirmação de que “quanto mais tempo queremos, pior administramos o que temos...” (l. 12-13) como, também, no segmento “E como não temos todo o tempo que queremos, trabalhamos até mais tarde e nos finais de semana” (l. 21-22). Falsa a terceira afirmação, pois a expressão “famintos de tempo” está relacionada, segundo o autor, à necessidade de administrar melhor o tempo que efetivamente temos, não que devamos aproveitar tempo adicional. Falsa a quarta afirmação, porque, em vários segmentos do texto, o autor deixa claro que o tempo individual é invadido pelas atividades do trabalho. Portanto o tempo individual não está preservado. RESPOSTA: C. _______________________________________________________________________ Questão 08 – estrutura e interpretação de texto Quanto à assertiva I, o autor efetivamente apresenta o tema ao leitor nos dois parágrafos iniciais, mas a presença de verbos e pronomes na primeira pessoa do plural nesses trechos (“vivemos” (l. 01), “temos” (l. 02), “queremos” (l. 03), “nossa”, “conquistamos” e “compramos” (l. 04), “ganhamos” e “temos” (l. 05) e “temos” (l. 06) indica que ele se inclui nessa reflexão. Errada a assertiva I. Nos parágrafos seguintes, entre as linhas 08 e 42, o autor efetivamente sintetiza vários pontos de vista sobre o tema, mas não trata, em todos os trechos, da impossibilidade de administrarmos nosso tempo. Por exemplo, no trecho entre as linhas 14 e 18 (4º parágrafo), o autor reconhece, mesmo por meio de interrogação, que muito do nosso tempo é usado para assuntos importantes, que podem gerar diferença significativa em termos de progresso (“competitividade e resultados para as empresas”). Errada a assertiva II. No parágrafo final, entre as linhas 43 e 44, o autor passa a se dirigir diretamente ao leitor, utilizando verbos no imperativo (“Pense” e “Seja” na l. 43), o que enseja aconselhamento ao leitor. Correta a assertiva III. RESPOSTA: C. _______________________________________________________________________ Questão 09 – concordância e regência verbal A lacuna da linha 10deve ser preenchida pela forma verbal “parecem”, na terceira pessoa do plural, haja vista que o sujeito da oração é “algumas visões de tempo interessantes”. Errada a assertiva I. A locução verbal “pode ser dividido” deve preencher a lacuna da linha 12, porque o sujeito é “O estudo de tempo e sociedade”, sendo seu núcleo “estudo”, no singular e masculino. Errada a assertiva II. Na lacuna da linha 25, deve aparecer o pronome oblíquo átono “o”, que representa o objeto direto do verbo “combater” (VTD), que é “ritmo da vida moderna”, cujo núcleo é “ritmo”. Errada a assertiva III. A forma verbal “incorpora” preenche adequada e corretamente a lacuna da linha 47, porque o sujeito é “tapeçaria”. Correta a assertiva IV. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 10 – semântica e interpretação de texto Na construção “Em algumas culturas, o tempo é elástico, em outras, monolítico” (l. 02-03), a figura de linguagem presente no segmento destacado é metáfora, porque se trata de comparações, não metonímia. Falsa a primeira afirmação. O termo “tempo dos sonhos” (l. 08) foi empregado no contexto para indicar, segundo os aborígenes australianos, a origem (“mito da criação”) e um determinado método de localização, não porque vivem num mundo imaginário. Falsa a segunda afirmação. A expressão “cosmológico” (l. 12) está empregada em oposição a “pragmático”, significando transcendental, não “cosmométrico”, que diz respeito à medição do espaço cósmico. Falsa a terceira afirmação. O fragmento “o tempo é uma tapeçaria” (l 47) contém uma comparação, portanto a figura de linguagem é metáfora. Verdadeira a quarta afirmação. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 11 – regência verbal e nominal No trecho “... as regras de tempo social compõem uma linguagem silenciosa” (l. 13-14), se a forma verbal destacada for substituída por “fazem a composição”, deverá ser inserida a preposição “de” antes de “uma linguagem silenciosa”. Observe-se: “... as regras de tempo social fazem a composição de uma linguagem silenciosa”. Portanto a sugestão da assertiva I provoca alteração sintática no período. Quanto à assertiva II, a substituição de “levar”, destacado no trecho “... podem levar a mal-entendidos” (l. 16-17), por “conduzir” não provoca alteração sintática no período, porque a transitividade de ambas os verbos é igual, uma vez que os dois exigem preposição “a”. Observe-se: “... podem conduzir a mal-entendidos”. Com relação à assertiva III, substituindo-se a forma verbal “usa”, destacada no trecho “A maioria das culturas do mundo agora usa relógios e calendários” (l. 23), por “faz uso” provoca a inserção de preposição “de”. Observe-se: “A maioria das culturas do mundo agora faz uso de relógios e calendários”. No trecho “Sardar afirma que o Ocidente colonizou o tempo...” (l. 49), a substituição da forma verbal destacada por “tornou-se colonizador” exigirá o registro de preposição “de”. Observe-se: “Sardar afirma que o Ocidente tornou-se colonizador do tempo...”. Portanto a substituição sugerida na assertiva IV provoca alteração. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 12 – semântica e interpretação de texto Se a afirmação de que “O sistema de tempo no país estrangeiro pode ser composto de unidades básicas diferentes” (l. 19-20), o segmento “pode ser composto” significa que não há obrigatoriedade de o sistema de tempo no país estrangeiro ser composto de unidades básicas diferentes. A informação está contida na frase original na assertiva I. Considerando-se que “Levine e seus colegas fizeram novos estudos do ritmo de vida em 31 países”, o segmento “novos estudos” remete à ideia de que já houve outros estudos. A informação está contida na frase original na assertiva II. No segmento “A geography of time, publicado pela primeira vez em 1997...” (l. 30-31), entende-se que a obra tenha sido publicada outras vezes, não se podendo interpretar que tenha sido publicada uma única vez. A informação não está contida na frase original na assertiva III. RESPOSTA: C. _______________________________________________________________________ Questão 13 – pontuação A vírgula depois de “outras”, no segmento “Em algumas culturas, o tempo é elástico, em outras, monolítico” (l. 02-03), marca a elipse do verbo “ser”. Observe-se: “Em algumas culturas, o tempo é elástico, em outras é monolítico”. Não se trata de silepse. Errada a assertiva I. As sequências “Do ponto de vista prático” (l. 13) e “Em 1995” (l. 16) estão isoladas por vírgulas logo após por serem adjuntos adverbiais deslocados, portanto são justificadas pela mesma razão. Correta a assertiva II. No trecho “... três medidas: velocidade para andar nas calçadas urbanas, rapidez de um funcionário do correio em vender um simples selo e a precisão dos relógios públicos” (l. 32-33), os dois-pontos estão empregados para introduzir enumeração. Correta a assertiva III. A última vírgula da linha 44 isola espécie de aposto, que complementa a afirmação contida na oração anterior, não podendo ser substituída por ponto-e-vírgula, porque não se trata de uma oração coordenada. O ponto-e-vírgula, de regra, é empregado para separar orações coordenadas sem conetivo (= conjunção). Observe-se que o segmento “especialmente a seita fundamentalista wahhabista” não possui verbo, portanto não é oração. Errada a assertiva IV. RESPOSTA: B. _______________________________________________________________________ Questão 14 – fonética e acentuação gráfica As palavras “irá” (l. 01) e “até” (l. 04) são acentuadas pela regra das oxítonas e ambas possuem igual número de letras e fonemas: irá – 3 letras até – 3 letras /IRÁ/ - 3 fonemas /ATÉ/ - 3 fonemas Portanto está correta a assertiva I. Nas palavras “países” (l. 05) e “país” (l. 21), ocorrem hiatos (= vogais separadas): pa – í - ses pa-ís Quanto ao número de letras e fonemas, ambas apresentam, individualmente, igual quantidade de letras e fonemas: países – 5 letras país – 4 letras /PAÍZES/ - 5 fonemas /PAÍZ/ - 4 fonemas Portanto está errada a assertiva II. Se forem suprimidos os acentos gráficos ds palavras “vários” (l. 05) e “funcionário” (l. 32), resultariam as palavras “varios” e “funcionario”, que não exixtem em Língua Portuguesa. Errada a assertiva III. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 15 – interpretação de texto O texto deixa claro que há várias formas de perceber o tempo, pois tal percepção depende da cultura das sociedades. É possível comprovar-se isso a partir da leitura atenciosa do texto, especialmente nas informações contidas entre as linhas 05 e 11 (2º parágrafo) e entre as linhas 16 e 22 (4º parágrafo), entre outros. Portanto não há apenas duas formas se perceber o tempo. Errada a assertiva I. As conceituações elaboradas sobre o tempo dependem de cada cultura, portanto não são universais. Em alguns países, deixar alguém esperando é considerado normal ou tolerável, noutros, intolerável. Observem-se os trechos contidos, por exemplo, entre as linhas 01-02, 23-26, entre outros. Errada a assertiva II. Segundo o texto, especialmente em trechos já referidos nos comentários às assertivas I e II, os seres humanos lidam com o tempo de acordo com sua conceituação de tempo e com a cultura de cada país. Não há uma única maneira de lidar com o tempo. Errada, portanto, a assertiva III. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 16 – interpretação de texto No trecho das linhas 13-17, de acordo com um dos auditores-fiscais gaúcho, a política tributária influencia o processo econômico, portanto a política tributária não é influenciada pelo processo econômico. Errada a assertiva I. Segundo informações contidas no 1º parágrafo e, em especial, no trecho compreendido entre as linhas 18 e 22, uma das essências da nova cultura da Receita Estadual é propiciar arrecadação que possa fazer frente às demandas sociais que estão em ascensão. Correta a assertiva II. Segundo o texto, em particular no trecho compreendido entre as linhas 27 e 29, a Receita Estadual trabalha para manter um diálogo cortês e ágil na resposta aos contribuintes, não moroso. Errada a assertiva III. RESPOSTA: B. _______________________________________________________________________ Questão 17 – concordância verbal (identificação do sujeito) A forma verbal “produzem” (l. 02) tem como sujeito “Aceleradas mudanças na Receita Estadual do Rio Grande do Sul” ( l. 01). Correta a assertiva I. A forma verbal “sejam” (l. 07) tem como sujeito “conhecimentos técnicos e profissionais” (l. 05), e não especialistas nas universidades públicas e privadas”. Errada a assertiva II. A forma verbal “Trabalha” ( l. 27) tem como sujeito “o órgão” (l. 25-26), e não meta prioritária”. Errada a assertiva III. O sujeito do verbo “ser”, na forma “são” (l. 30), é “ a racionalização do uso dos recursos públicos da Secretaria da Fazenda, o aperfeiçoamento dos sistemas de informação, serviços e processos voltados ao cumprimento das atribuições e competências dos auditores-fiscais e gestão tecnológica dos recursos” (l. 31-33). O segmento “pontos de destaque na atuação da Receita Estadual” é predicativo do verbo “ser”. Errada a assertiva IV. RESPOSTA: A. _______________________________________________________________________ Questão 18 – reescritura de trechos Na construção original das linhas 18-19, vê-se que a política tributária “trata do nível e distribuição da carga de tributos e da estrutura e modelagem tributárias”, o que não corresponde à afirmação de que “é preciso que a política tributária se relacione com níveis de distribuição da cargas tributárias altas...”. A proposta de reescrita da assertiva I altera o sentido original da mensagem. De acordo com o sentido original do trecho das linhas 23-24, “o foco nas atividades de fiscalização, arrecadação e cobrança tem caracterizado a atuação atual da Receita Estadual”, não as principais atividades, o que representa inversão na mensagem. Portanto a proposta de reescrita da assertiva II altera o sentido original da mensagem. Em “... o órgão age ...” (trecho das l. 26-27), o sujeito de “agir” é determinado (“o órgão), diferentemente de “age-se”, em que se indeterminou o sujeito. A proposta de reescrita da assertiva III altera o sentido original da mensagem. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 19 – diversos aspectos gramaticais e sintáticos No trecho Nesta nova cultura, que tem como substrato a busca da arrecadação suficiente para enfrentar as crescentes demandas sociais, ganhou espaço também a relação com o contribuinte (l. 24-25), o segmento Nesta nova cultura é adjunto adverbial. Correta a assertiva I. A oração que tem como substrato a busca da arrecadação suficiente para enfrentar as crescentes demandas sociais é subordinada adjetiva explicativa. Errada a assertiva II. A oração para enfrentar as crescentes demandas sociais é subordinada adverbial final (porque indica ideia de finalidade) reduzida de infinitivo, pois tem como núcleo verbal a forma enfrentar. Correta a assertiva III. Em ganhou espaço também a relação com o contribuinte, o verbo “ganhar” tem como sujeito a relação com o contribuinte e como objeto direto espaço. Errada a assertiva IV. RESPOSTA: B. _______________________________________________________________________ Questão 20 – semântica e interpretação de texto “Aceleradas mudanças na Receita Estadual do Rio Grande do Sul [...] ainda não estão plenamente consolidadas” (l. 01-02) não encontra pressuposição em “Todas as mudanças propostas já estão em pleno funcionamento”, porque, em primeiro lugar, o trecho original registra “aceleradas mudanças”, que não podem ser retomadas como “todas”, e, em segundo lugar, porque “ainda não estão plenamente consolidadas” é o contrário de “estão em pleno funcionamento”. Não há pressuposição nas ideias apresentadas na assertiva I. No segmento “órgão que existiu durante décadas apenas nos seus melhores sonhos” (l. 03-04) significa que durante décadas o órgão não existiu, portanto não se pressupõe que a Receita Estadual é um órgão existente no Rio Grande do sul há décadas. Não há pressuposição nas ideias apresentadas na assertiva II. O trecho compreendido entre as linhas 09 e 10 indica que “A Administração Tributária Setorial é uma das inovações adotadas pela Receita Estadual...”, o que não se identifica com a afirmação de que A Administração Tributária Setorial seja a única invenção e o único objetivo da Receita Estadual. Não há pressuposição nas ideias apresentadas na assertiva III. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 21 – semântica e alterações de frases Quanto à assertiva I, a supressão do segmento “no exterior”, destacado no trecho “... os conhecimentos técnicos e profissionais aperfeiçoados em estudos no exterior” (l. 05), causa alteração de sentido, pois não especifica a qualificação dos estudos. A sugestão contida na assertiva II, no sentido de inserir “muitos” logo após “números”, na sequência “sejam implementados e produzam números favoráveis ao caixa do Tesouro do Estado” (l. 07-08), alterará o adjetivo “favoráveis”. Observe-se: “sejam implementados e produzam números muito favoráveis ao caixa do Tesouro do Estado”. Quanto à assertiva III, no trecho “... torna a atuação” (l. 13), a substituição de “torna” por “enceta” alterará o sentido do texto, porque “tornar” significa “transformar” e “encetar” significa “iniciar”, “dar início”, “começar”. Com relação à assertiva IV, o deslocamento de “de informação” para imediatamente após “serviços e processos”, no trecho “o aperfeiçoamento dos sistemas de informação, serviços e processos” (l. 31), causará alteração, porque o segmento “de informação” está completando o sentido de “sistemas”; se for deslocado para logo depois de “serviços e processos”, complementará os termos “serviços e processos”. Observe-se: “o aperfeiçoamento dos sistemas, serviços e processos de informação”. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 22 – semântica e interpretação de texto A palavra “caixa”, destacado no no trecho “sejam implementados e produzam números favoráveis ao caixa do Tesouro do Estado” (l. 07-08), está sendo empregada de forma denotativa, isto é, em sentido real, como termo técnico de contabilidade. Errada a assertiva I. A alteração de “caixa” por “cofre”, destacada no trecho “sejam implementados e produzam números favoráveis ao caixa do Tesouro do Estado” (l. 07-08), não produz sinestesia, que é o cruzamento de sensações, ou associação de palavras ou expressões em que ocorre combinação de sensações diferentes numa só impressão. Errada a assertiva II. No segmento “um diálogo cortês e ágil” (l.28), há metáfora, ou seja, figura de linguagem que se traduz por comparação, não hipérbole, que encerra exagero. Errada a assertiva III. RESPOSTA: E. _______________________________________________________________________ Questão 23 – formação de palavras O vocábulo “amadurecimento” (l. 03) é formado por derivação sufixal; já “aperfeiçoados” (l. 05) é formado por derivação parassintética. Errada a assertiva I. O vocábulo “favoráveis” (l. 07) é formado por derivação sufixal, em que “favor” recebe o sufixo “-(á)vel(is)”, formador de adjetivos. Correta a assertiva II. O advérbio “extremamente” (l. 10) é formado por derivação sufixal, em que o adjetivo “extremo” recebe o sufixo formador de advérbios “-mente”. Errada a assertiva III. Em “convergência” (l. 26), há derivação sufixal, porque o verbo “convergir” recebe o sufixo “-ência”. Correta a assertiva IV. QUESTÃO RECORRÍVEL A banca da FUNDATEC indicou, como gabarito preliminar para essa questão, a alternativa “B”, considerando como correta apenas a afirmação contida na assertiva IV. A rigor, está correta também a assertiva II, porque FAVORÁVEIS é adjetivo formado por derivação sufixal, em que o substantivo “FAVOR” recebe o sufixo “-(Á)VEL”, formador de adjetivos. Nas respostas oferecidas, não há alternativa que considere como corretas as assertivas II e IV, logo a questão carece de resposta correta, devendo ser anulada, como medida de justiça. _______________________________________________________________________ Questão 24 – vozes verbais Os verbos destacados nas assertivas I (“estar”) e III (“ser”) são de ligação. Os verbos de ligação não são transportáveis para a voz passiva, portanto as construções oferecidas nas assertivas I e III estão erradas. A passagem para a voz passiva da construção “a Administração Tributária Setorial parte das movimentações do mercado e acompanha o desenvolvimento das empresas” (l. 10-11), considerando-se o verbo destacado, deve ser “o desenvolvimento das empresas é acompanhado pela Administração Tributária Setorial que parte das movimentações do mercado”. Correta a assertiva II. RESPOSTA: B.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO CONCURSO DO GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO – GHC PARA CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR – BANCA DA FUNDAÇÃO LA SALLE – CERTAME REALIZADO NO DIA 08 DE JUNHO DE 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO CONCURSO DO GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO – GHC PARA CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR – BANCA DA FUNDAÇÃO LA SALLE – CERTAME REALIZADO NO DIA 08 DE JUNHO DE 2014 Questão 01 – Concordância verbal e ortografia A lacuna da linha 4 deve ser preenchida pela forma verbal “vêm”, na terceira pessoa do plural do presente do indicativo, em razão de o sujeito ser “os rins”. A lacuna da linha 9, por sua vez, deve ser completada pela preposição “trás”. Finalmente, a lacuna da linha 20 deve receber a forma verbal “têm”, na terceira pessoa do plural do presente do indicativo, em razão de o sujeito ser “Eles”. RESPOSTA: A. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 02 – Ortografia e emprego dos “porquês” Nas duas lacunas da linha 13, deve aparecer a forma “porque”, em razão de se tratar de explicação. Na linha 23, a palavra que deve aparecer é o adjetivo “mau”, porque está qualificando o substantivo “funcionamento”. Por fim, na linha 27, a grafia deve ser “porque” ou “pois”, já que introduz oração explicativa. Na combinação das respostas certas, vence a opção B. RESPOSTA: B. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 03 – Emprego de conjunções coordenativas No trecho “Todavia, em animais, já notamos que exercícios...” (l. 9), a conjunção (destacada na transcrição) pode ser substituída por “Porém”, “Entretanto”, “No entanto”, “Contudo” e “Entretanto”, porque se trata de conjunção coordenativa adversativa. Não pode ser substituída por “Pois”, porque se trata de conjunção coordenativa explicativa. RESPOSTA: E. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 04 – Valor semântico de conjunção No trecho “Se substituir a primeira expressão por ‘pulmão’, esse número sobe para 321...” (l. 2-3), a conjunção sublinhada é subordinativa adverbial condicional, equivalendo-se a sinônimos como “caso”. A ideia que indica é de condição. RESPOSTA: A. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 05 – Interpretação de texto No trecho “Todavia, em animais, já notamos que exercícios melhoram o processo de filtragem dos rins, relata Nestor Schor...”, observa-se que Nestor Schor afirma que a atividade, nos animais, melhora a função renal, não se podendo, portanto, afirmar que a função renal de pessoas ativas seja melhor do a função renal das pessoas sedentárias. Falsa a primeira afirmação. Quanto à afirmação de que hipertensão e diabete sejam doenças conhecidas por afetarem os rins, observa-se no trecho “Outra explicação recai na hipertensão e diabete, doenças conhecidas por lesar o par de órgãos” (l. 12) que está correta a interpretação, porque “o par de órgãos” se refere, obviamente, a rins. Verdadeira a segunda afirmação. A terceira afirmação fica sustentada como verdadeira em razão do trecho “Na Universidade Médica da China, o nefrologista I-Kuan Wang examinou dados de 7.863 diabéticos com doença renal crônica entre 1996 e 2008. Ao separar os que malhavam dos inativos, ele viu que o primeiro grupo possuía uma menor taxa de mortalidade” (l. 14-16). RESPOSTA: C. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 06 – Pontuação Estão erradas as opções “A” e “C” pelo registro de dois-pontos logo após “entre”, porque não se trata de sequência de elementos, nem decitação, muito menos de conclusão ou de aposto, mas de dois elementos relacionados pela preposição “entre”. Na opção “C”, ainda há outro erro de pontuação que consiste na vírgula antes do “e”, equivocada, porque não se trata de conjunção que esteja unindo orações de sujeitos diferentes. Está errada a pontuação constante no trecho da assertiva “D”, porque o nome “Henrique Novais Mansur” é aposto, devendo ficar isolado por vírgulas; está errada, também, em relação ao registro de dois-pontos depois de “constatou”, haja vista que não se trata de sequência de elementos, nem de citação, muito menos de conclusão ou de aposto, mas de verbo e seu objeto (“constatou” e “uma ligação...”). Está errada a pontuação constante na opção “E”, porque o nome “Henrique Novais Mansur” é aposto, devendo ficar isolado por vírgulas; está errada, também, em relação ao registro de vírgula depois de “pessoas”, pois o segmento “com doença renal crônica se trata de adjunto adnominal, inseparável de seu substantivo. RESPOSTA: B. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 07 – Acentuação gráfica As palavras “crônica” (CRÔ-NI-CA) e “hemodiálise” (HE-MO-DI-Á-LI-SE) são acentuadas pela regra das proparoxítonas. Correta a assertiva “A”. Errada a opção “B”, porque “saúde” é acentuada porque apresenta “u” tônico, precedido de vogal e formando sílaba sozinho, acentuada, portanto, pela regra do “I” e “U” (ou regra dos hiatos) e porque “tórax” é acentuada pela regra das paroxítonas terminadas em “x”. Errada, também, a alternativa “C”, pois “médicos” (MÉ-DI-COS) é acentuada por ser proparoxítona, enquanto “órgãos” é acentuada pela regra das paroxítonas terminadas em “ão ou aos”. A assertiva “D” fica automaticamente respondida porque apenas inverteu as palavras constantes na opção B. Na opção “E”, “hemodiálise” (HE-MO-DI-Á-LI-SE) é acentuada pela regra das proparoxítonas, enquanto “saúde” é acentuada porque apresenta “u” tônico, precedido de vogal e formando sílaba sozinho, acentuada, portanto, pela regra do “I” e “U” (ou regra dos hiatos). RESPOSTA: A. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 08 – Concordância e conjugação verbal No trecho “Ao buscar pelos termos ‘rim’ e ‘atividade física’ no Pubmed, site do governo americano que reúne estudos realizados no mundo todo, você encontrará 168 artigos publicados em 2013” (l. 1-2), a substituição de “você” por “nós” implicará alteração em mais duas palavras, a saber: “Ao buscarmos pelos termos ‘rim’ e ‘atividade física’ no Pubmed, site do governo americano que reúne estudos realizados no mundo todo, nós encontraremos 168 artigos publicados em 2013”. Observe-se que não se contabiliza “você”, porque o enunciado deixa clara a indagação de quantas “outras” palavras sofrerão alteração. RESPOSTA: B. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 09 – Semântica No trecho “Por se tratar de uma área ainda nebulosa, faltam evidências...” (l. 8), o adjetivo “nebulosa” (destacado na transcrição) significa difícil de entender, ou obscura, incompreensível, nevoenta, nevoeirenta. Portanto pode ser substituído por “obscura”. RESPOSTA: D. ____________________________________________________________________________________________________________ Questão 10 – Tempos e modos verbais No trecho “... você deveria correr para fazer o mesmo” (l. 30), o verbo “dever” (destacado na transcrição) está conjugado o futuro do pretérito o modo indicativo. No futuro do presente do indicativo, sua conjugação será eu deverei tu deverás ele(a)/você deverá nós deveremos vós devereis eles(as) deverão RESPOSTA: D. ____________________________________________________________________________________________________________ NÃO HÁ RECURSOS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É vedada a reprodução total ou parcial destes comentários, por qualquer meio ou processo. A violação de direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa (art. 184 e parágrafos do Código Penal), conjuntamente com busca e apreensão e indenizações diversas (arts. 101 a 110 da Lei nº 9.610, de 19/02/98 – Lei dos Direitos Autorais). WWW.cpcrs.com.br – professormenegotto.blogspot.com – menegotto@cpcrs.com.br

terça-feira, 3 de junho de 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO CONCURSO DO GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO – GHC PARA CARGOS DE NÍVEL MÉDIO E TÉCNICO – BANCA DA FUNDAÇÃO LA SALLE – CERTAME REALIZADO NO DIA 01 DE JUNHO DE 2014 –

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO CONCURSO DO GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO – GHC PARA CARGOS DE NÍVEL MÉDIO E TÉCNICO – BANCA DA FUNDAÇÃO LA SALLE – CERTAME REALIZADO NO DIA 01 DE JUNHO DE 2014 – Questão 01 – Crase e concordância verbal A lacuna da linha 4 deve ser preenchida com “à”, porque o adjetivo “propensos” exige preposição “a” e a palavra “formação” é feminina. Com relação à lacuna da linha 5, deve receber “Há”, verbo haver utilizado de forma impessoal, que tem como objeto direto “pacientes”, ou “Existem”, que tem como sujeito “pacientes”. Na lacuna da linha 7, deve aparecer apenas a preposição “a”, exigida pelo adjetivo “aptas”. Não pode haver crase, porque a palavra seguinte é verbo (“retirar”). Na lacuna da linha 15, deve aparecer “há”, verbo haver empregado como impessoal, tendo como objeto “portadores”, ou “existem”, caso em que “portadores” funciona como sujeito. RESPOSTA: B. ___________________________________________________________________ Questão 02 – Identificação de conjunção No trecho “Embora o jargão medicines soe estranho...” (l. 10), a conjunção (destacada na transcrição) estabelece relação de oposição. RESPOSTA: A. ___________________________________________________________________ Questão 03 – Interpretação de texto No segmento “... os portadores de hipercolesterolemia familiar (HF) – por baixo, há cerca de 300 mil deles no Brasil” (l. 2-3), observa-se que o número deve ser maior, ou, no mínimo, igual, em razão do significado do adjunto adverbial “por baixo”. Portanto é falsa a primeira afirmação de que, no Brasil, haja menos de 300 mil portadores de hipercolesterolemia familiar. Segundo o texto, atividades físicas e redução de alimentos ricos em gordura saturada são algumas das sugestões “bem-vindas” (l. 35), mas não são suficientes para acabar de vez com o problema do colesterol elevado. O texto, no parágrafo iniciado na linha 36, afirma que o apoio farmacológico é fundamental. Portanto é falsa a segunda afirmação. No trecho “Como a doença não deixa de ser silenciosa e parece estar subestimada, há quem recomende a medição de colesterol a partir dos 20 anos em toda a população. ‘Quanto mais cede o diagnóstico, mais eficaz o tratamento’, sentencia Cinthia. ‘Além de lançar mão de remédios que baixem o colesterol, é crucial a adoção de um estilo de vida saudável’, atesta Santos” (l. 27-30). Portanto é verdadeira a terceira afirmação. RESPOSTA: B. ___________________________________________________________________ Questão 04 – Classes gramaticais No trecho “Imagine passar anos e anos com uma enorme carga de colesterol...” (l. 1), a palavra “e” (destacada na transcrição), sob o ponto de vista morfológico, é conjunção aditiva. Correta a alternativa “A”. Em “Essa falha no sistema...” (l. 8), a palavra “Essa” (destacada na transcrição), sob o ponto de vista morfológico, é pronome demonstrativo. Correta a opção “B”. No segmento “A médica coordena, ao lado de Santos e outros profissionais...” (l. 13), a palavra “ao” (destacada na transcrição), sob o ponto de vista morfológico, é combinação da preposição “a” com o artigo “o”. Correta a alternativa “C”. Em “Como a doença não deixa de ser silenciosa...” (l 27), a palavra sublinhada, sob o ponto de vista morfológico, é advérbio de negação. Errada a alternativa “D”. No segmento “E o melhor: para toda a família” (l. 41) a palavra “para” (destacada na transcrição), sob o ponto de vista morfológico, é preposição. Correta a opção “E”. RESPOSTA: D. ___________________________________________________________________ Questão 05 – Fonética As palavras “distúrbio”, “laticínios” e “fritura” não apresentam dígrafo, nem ditongo nasal. A palavra “além” apresenta ditongo nasal no final, em “EM”, mas não apresenta dígrafo. No advérbio “também”, há dígrafo vocálico (ou nasal) em “am” (/Ã/) e ditongo nasal no final em “EM”. RESPOSTA: A. ___________________________________________________________________ Questão 06 – Acentuação gráfica As palavras “médicos” (mé-di-cos) e “características” (ca-rac-te-rís-ti-cas) são acentuadas pela regra das proparoxítonas. Correta a opção “A”. Na opção “B”, a forma verbal “é” é acentuada pela regra das monossílabas tônicas, e “além” é acentuada pela regra das oxítonas. Na opção “C”, “saudável” é acentuada por ser paroxítona terminada em “l”, e “médicos” (mé-di-cos) é acentuada pela regra das proparoxítonas. Na alternativa “D”, pés” é acentuada pela regra das monossílabas tônicas, e “além” é acentuada pela regra das oxítonas. Na alternativa “E”, “fígado” (fí-ga-do) é acentuada por ser proparoxítona, e “saudável” é acentuada por ser paroxítona terminada em “l”. RESPOSTA: A. ___________________________________________________________________ Questão 07 – Fonética A palavra “falha” apresenta dígrafo em “LH”. As palavras “próximos”, “faxina” e “família” não apresentam dífono. No vocábulo “tóxico”, há dífono, porque o “x” tem valor pronuncial de /KS/. RESPOSTA: D. ___________________________________________________________________ Questão 08 – Fonética e acentuação gráfica O vocábulo “país” é substantivo; a retirada do acento gráfico” produzirá mudança de pronúncia para “pais”, mas continuará sendo substantivo. Errada a afirmação I. Em “profissionais”, há encontro consonantal em “PR” e dígrafo em “SS”. Correta a assertiva II. No vocábulo “dieta” (di-e-ta), há hiato em “I-E”. Correta a assertiva III. RESPOSTA: B. ___________________________________________________________________ Questão 09 – Concordância verbal e nominal No período “Como nessa doença o apoio farmacológico é fundamental, uma das melhores notícias dos últimos meses é que estão chegando ao país novas drogas que reduzem os níveis de colesterol” (l. 36-37), a singularização da palavra “drogas” (sublinhada na transcrição) produzirá a seguinte construção: “Como nessa doença o apoio farmacológico é fundamental, uma das melhores notícias dos últimos meses é que está chegando ao país nova droga que reduz os níveis de colesterol”. Portanto sofrerão alteração três palavras. RESPOSTA: C. ___________________________________________________________________ Questão 10 – Concordância verbal e pontuação No trecho “Apesar de grande parte dos portadores de HF não apresentar nenhum tipo de sintoma, existem manifestações na pele que aparecem em uma minoria” (l. 22-23), a forma verbal “apresentar” (destacada na transcrição) está concordando com “parte”, que é núcleo do sujeito, mas poderá ir para o plural, caso em que concordará com o complemento “portadores”. Como se trata de expressão partitiva, as duas concordâncias estão corretas. O período, portanto, poderia ser reescrito da seguinte forma: “Apesar de grande parte dos portadores de HF não apresentarem nenhum tipo de sintoma, existem manifestações na pele que aparecem em uma minoria”. Correta a assertiva I. A forma verbal “existem”, destacada no segmento “existem manifestações”, poderá ser substituída por “há”, verbo haver utilizado impessoalmente. Correta a assertiva II. As aspas no contexto foram utilizadas em função de citação, porque se trata da fala de Hermes Toros Xavier. Correta a assertiva III. RESPOSTA: E. ___________________________________________________________________ NÃO HÁ RECURSOS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É vedada a reprodução total ou parcial deste material, por qualquer meio ou processo. A violação de direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa (art. 184 e parágrafos do Código Penal), conjuntamente com busca e apreensão e indenizações diversas (arts. 101 a 110 da Lei nº 9.610, de 19/02/98 – Lei dos Direitos Autorais). Publicado no saite do CPC (WWW.cpcrs.com.br) e no blog professormenegotto.blogspot.com.br.

terça-feira, 27 de maio de 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO TJRS - OFICIAL DE JUSTIÇA - CONCURSO OCORRIDO EM 25 DE MAIO DE 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO CONCURSO PARA OFICIAL DE JUSTIÇA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (TJRS) – BANCA DA FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – FAURGS – CERTAME REALIZADO NO DIA 25 DE MAIO DE 2014 Questão 01 – Crase As três lacunas devem ser preenchidas exclusivamente com artigos definidos femininos. Observe-se cada caso: na primeira lacuna, o verbo “contemplar” (l. 18) é transitivo direto, portanto deve receber artigo “a”: “... contemplar de perto a sua beleza” (l. 18-19); na segunda lacuna, no segmento “todas as vezes” (l. 27), não há locução adverbial feminina, mas apenas adjunto adverbial com artigo “as” antes de “vezes”, equivalendo a “todos os momentos”; já na terceira lacuna, o verbo “ver” (l. 29) é transitivo direto, regendo objeto direto, que é “a minha própria beleza refletida” (l. 29-30), portanto o “a” (destacado) é apenas artigo. RESPOSTA: C. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 112 a 120), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questão 01) E NA PRÉ-PROVA (questão 01) ___________________________________________________________________ Questão 02 – Referentes (elemento possuidor e possuído) No trecho “... um belo rapaz que, todos os dias, ia contemplar seu rosto num lago...” (l. 02-03), o pronome possessivo “seu” (destacado na transcrição) retoma “um belo rapaz” (possuidor) e o “rosto” (possuído). No trecho “Ah, não nos espanta que você chore por Narciso, continuaram elas. Afinal de contas, todas nós sempre corremos atrás dele pelo bosque, mas você era o único que tinha a oportunidade de contemplar de perto a sua beleza” (l. 15-19), o pronome possessivo “sua” (destacado na transcrição) retoma “Narciso” (possuidor) e “beleza” (possuído). RESPOSTA: D. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 94 a 97), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 15) ___________________________________________________________________ Questão 03 – Concordância No trecho “... e viram que a água doce do lago havia se transformado em lágrimas salgadas” (11-12), a pluralização de “água” (destacada na transcrição) alteraria outras três palavras, a saber: “... e viram que as águas doces do lago haviam se transformado em lágrimas salgadas”. Devem mudar, necessariamente, para ajustes de concordância, portanto, o artigo “a” para “as”, o adjetivo “doce” para “doces” e o verbo auxiliar “haver”, na locução “havia se transformado”, que ficará “haviam se transformado”. RESPOSTA: C. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 71, 73, 74, 85 e 86), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questões 16 e 24) E NA PRÉ-PROVA (questão 09) ___________________________________________________________________ Questão 04 – Discursos direto e indireto O trecho “Ele diz que, quando Narciso morreu, vieram as Oréiades – deusas do bosque – e viram que a água doce do lago havia se transformado em lágrimas salgadas” (l. 09-12) apresenta, no início, “Ele diz que...”, segmento que evidencia um terceiro (o escritor Oscar Wilde) reproduzindo e narrando o fato, além dos tempos verbais (“morreu”, “vieram” e “viram”, todos no pretérito perfeito do indicativo, além de “havia se transformado”, no pretérito imperfeito do indicativo). Todas essas características identificam discurso indireto no trecho. Correta a afirmação I. No segmento “Choro por Narciso” (l. 14), o verbo “chorar”, na forma verbal “Choro”, está em primeira pessoa do singular, o que evidencia o discurso direto. Errada a assertiva II. No segmento “Mas Narciso era belo?, quis saber o lago” (l. 20), há interrogação, traço característico do discurso direto, que evidencia fala da personagem. Errada a assertiva III. RESPOSTA: A. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 171 a 180) E NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES __________________________________________________________________ Questão 05– Equivalência de estruturas (reescritura de trecho) A reescritura contida na opção (A) apresenta erro, em relação ao trecho original, nos segmentos “Nem todo mundo desconhece”, que não guarda equivalência com “Quase todo mundo conhece”; além disso, traz a informação “o dia todo”, diferente do trecho original em que se lê “todos os dias”. Errada a opção (A). Correta a reescritura presente na opção (B), porque guarda identidade com o trecho original. Errada a reescritura apresentada na opção (C), porque, em lugar de “história original (grega)”, inverte para “história grega (original)”, alteração que produz diferença relativamente ao trecho do texto. Na reescritura presente na opção (D), “Todo mundo conhece” é diferente de “Quase todo mundo conhece”, e “história quase original” não corresponde ao segmento “história original”. Errada a alternativa (D). Dois segmentos na reescritura da opção (E) estão errados: “história grega (original)” em lugar de “história original (grega)”, o que produz diferença em relação ao texto matriz, e “o dia todo” em lugar de “todos os dias”. Errada a alternativa (E). RESPOSTA: B. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 196 e 207), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 18) ___________________________________________________________________ Questão 06 – Classes de palavras Na alternativa (A), o termo “fascinado” (l. 04) revela qualidade, portanto é adjetivo; a palavra “Choro” (l. 14) está empregada como verbo. Os outros dois vocábulos são substantivos. Na opção (B), a palavra “atrás” (l. 17) é advérbio, porque evidencia circunstância. Os demais vocábulos são substantivos. Quanto à assertiva (C), o termo “belo” (l. 20) indica qualidade, portanto é adjetivo. As demais palavras são substantivos. Com relação às palavras reunidas na opção (D), “Quem” ( l. 21) está empregado, no contexto em que aparecer, como pronome interrogativo; “você” (l. 21) é pronome de tratamento. As demais palavras são substantivos. As palavras “deusas” (l. 10), “lágrimas” (l. 12), “tempo” (l. 25) e “vezes” (l. 27) são substantivos. Correta a assertiva (E). RESPOSTA: E. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questão 188), NO CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES (questão 45) E NO SIMULADO FINAL (questão 19) ___________________________________________________________________ Questão 07 – Pontuação No trecho “Quase todo mundo conhece a história original (grega) sobre Narciso: um belo rapaz que, todos os dias, ia contemplar seu rosto num lago” (l. 01-03), os dois-pontos introduzem aposto, que explica a “história original (grega) de Narciso”. O aposto pode ser isolado por vírgula, travessão ou, no caso, por vir no final, com dois-pontos, que não podem ser substituídos por ponto-e-vírgula. Ponto-e-vírgula separa orações coordenadas, o que não é o caso do trecho em exame. Falsa a primeira afirmação. O segmento “... certa manhã, quando procurava admirar-se mais de perto, caiu na água...” (l. 04-05) apresenta oração subordinada adverbial temporal deslocada em “quando procurava admirar-se mais de perto”, que está isolada por vírgulas. Portanto a vírgula após “perto” é a segunda do isolamento, não podendo ser suprimida. Falsa a segunda afirmação. No trecho “... que, certa manhã, quando procurava...” (l. 04-05), as vírgulas isolam adjunto adverbial deslocado; já no trecho “Ele diz que, quando Narciso morreu, vieram as Oréiades...” (l. 09-10), as vírgulas isolam oração subordinada adverbial temporal, o que se pode observar pela presença da conjunção subordinativa adverbial “quando” e de verbo. Falsa a terceira afirmação. A banca da FAURGS indicou como verdadeira tal afirmação, o que enseja recurso e anulação da questão, porque está flagrantemente errada. Quanto ao segmento “... vieram as Oréiades – deusas do bosque – e viram...” (l. 10-11), os travessões isolam aposto e poderiam ser substituídos por parênteses ou vírgulas. Verdadeira a quarta afirmação. QUESTÃO RECORRÍVEL, PORQUE A RESPOSTA DEVERIA SER F – F – F – V, E NÃO HÁ ALTERNATIVA COM ESSA CONFIGURAÇÃO. A BANCA DA FAURGS OFERECEU COMO GABARITO A OPÇÃO (A), CUJA ORDEM É F – F – V – V, INDICANDO COMO VERDADEIRA A TERCEIRA AFIRMAÇÃO. QUESTÃO RECORRÍVEL PELAS RAZÕES CONTIDAS NOS COMENTÁRIOS À TERCEIRA AFIRMAÇÃO. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 211 a 230), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questão 13) E NA PRÉ-PROVA (questão 07) ___________________________________________________________________ Questão 08 – Funções sintáticas (sujeito) No trecho “Era tão fascinado por si mesmo que certa manhã, quando procurava admirar-se mais de perto...” (l. 03-05), o sujeito de “procurava” é desinencial de terceira pessoa do singular (equivalente a “ele”) e remete a “um belo rapaz”. Errada a assertiva I. No segmento “Ah, não nos espanta que você chore por Narciso” (l. 15), o sujeito de “espanta” é a oração seguinte (“que você chore por Narciso”). Observe-se: quem é que não nos espanta? “que você chore...”. Correta a assertiva II. Na construção “... mas jamais havia percebido que era belo...” (l. 26-27), há locução verbal em “havia percebido”, cujo verbo principal é “perceber”, empregado na forma de particípio (“percebido”). O verbo “haver”, na forma do pretérito imperfeito do indicativo “havia”, é apenas auxiliar e está sendo empregado no sentido de “ter” (“tinha percebido”), não sendo, portanto, impessoal. O sujeito, por essa razão, não é inexistente, mas desinencial de terceira pessoa do singular, retomando “lago”. Errada a assertiva III. RESPOSTA: B. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR DO CURSO, NA APOSTILA (questões 181 e 186 a 190) E NO SIMULADO FINAL (questões 28 e 30) ___________________________________________________________________ Questão 09 – Discursos direto e indireto O trecho “Ah, não nos espanta que você chore pro Narciso” (l. 15) apresenta-se sob a forma de discurso direto. A transposição para o discurso indireto deve observar a substituição de “espanta”, conjugado no presente do indicativo, por “espantava”, no pretérito imperfeito do indicativo, e a forma “chore”, conjugada no presente do subjuntivo, deve aparecer no pretérito imperfeito do subjuntivo, na forma “chorasse”. O pronome “nos”, em “não nos espanta”, correspondente à primeira pessoa do plural (nós), deve dar lugar a “as”, na terceira pessoa do plural (elas). Não pode ser “lhes”, porque o verbo “espantar” é transitivo direto (quem espanta espanta alguém). Portanto estão erradas as opções (A), (C), (D) e (E). RESPOSTA: B. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 171 a 180) E NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES ___________________________________________________________________ Questão 10 – Conjugação verbal A substituição de “você”, nas linhas 13, 15, 17 e 21, por “tu” demandaria a troca de “chora” (l. 13) por “choras”, “chore” (l. 15) por “chores”, “era” (l. 17) por “eras”, mantendo-se “poderia” (l. 21). Observe-se o trecho já com as modificações sugeridas pela proposta: “Por que tu choras?” (l. 13); “Ah, não nos espanta que tu chores por Narciso” (l. 15); “... mas tu eras o único...” (l. 17-18) e “Quem melhor que tu poderia saber?” (l. 21). Nesse último caso, deve permanecer na forma “poderia”, na terceira pessoa do singular, porque o sujeito da locução verbal “poderia saber” é “Quem”, e não “tu”. Veja-se na inversão: “Quem poderia saber melhor do que tu?”. RESPOSTA: D. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 136 a 150), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 17) ___________________________________________________________________ Questão 11 – Funções do “que” No segmento “Era tão fascinado por si mesmo que ...” (l. 03-04), o vocábulo “que” é parte integrante da conjunção subordinativa adverbial consecutiva “tão que”, portanto não é pronome relativo. Errada a assertiva I. No trecho “Ele diz que, quando Narciso morreu, vieram as Oréiades...” (l. 09-10), a palavra “que” funciona como conjunção subordinativa integrante do verbo “dizer”, na forma do presente do indicativo “diz”. Certa a assertiva II. No trecho “... era em suas margens que ele se debruçava ...” (l. 23), a palavra “que” funciona como conjunção integrante do verbo “ser”, na forma do pretérito imperfeito do indicativo “era”. Errada a assertiva III. RESPOSTA: B. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 182, 184 e 185) E NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES ___________________________________________________________________ Questão 12 – Regência verbal A substituição de “passamos” por “simpatizamos”, no trecho “No lugar onde caiu, nasceu uma flor, que passamos a chamar de Narciso” (l. 06-07), exigirá o atendimento à regência de “simpatizar”, registrando-se a preposição “com”, porque quem simpatiza simpatiza “com”. O trecho, já modificado, passaria a ter a seguinte redação: “No lugar onde caiu, nasceu uma flor, com que passamos a simpatizar”. Portanto estão erradas as sugestões presentes nas opções (A), (B), (C) e (E). RESPOSTA: D. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 91 a 109), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 08) ___________________________________________________________________ Questão 13 – Tipologia textual O texto não tem característica predominantemente epistolar, porque não é construído a partir de cartas. De igual forma, não há caráter argumentativo no texto de Paulo Coelho, nem mesmo características dissertativas, pois não defende ponto de vista, nem tem o objetivo de convencimento de uma determinada tese ou posição. O texto também não apresenta passagem descritiva, pois a predominância de narrações, diálogos, fatos não indica descrição de imagens. O texto, portanto, é predominantemente narrativo, haja vista a profusão de trechos narrativos da história de Narciso, da tristeza das Oréiades, da comoção do lago pela morte de Narciso e, sobretudo, pela riqueza e frequência dos diálogos. RESPOSTA: E. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR E NA APOSTILA (questão 253) ___________________________________________________________________ Questão 14 – Identificação e classificação de conjunções No trecho “O escritor Oscar Wilde, porém, tem uma maneira diferente...” (l. 08-09), o nexo “porém” (destacado na transcrição) é conjunção coordenativa adversativa, traduzindo ideia de oposição. Falsa a primeira afirmação. Quanto ao segmento “... vieram as Oréiades – deusas do bosque – e viram que a água doce...” (l. 10-11), o conetivo “e” (destacado no trecho) é conjunção coordenativa aditiva. Falsa a segunda afirmação. Na passagem “Por que você chora?” (l. 13), a expressão sublinhada funciona como pronome interrogativo. Falsa a terceira afirmação. RESPOSTA: E. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 196 a 210) E NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES ___________________________________________________________________ Questão 15 – Conjugação verbal (identificação de tempos e modos verbais) A forma verbal “passamos” (l. 07) está conjugada no pretérito perfeito do indicativo; a forma verbal “debruçava” (l. 23) está no pretérito imperfeito do indicativo. A forma “espanta” ( l. 15) está conjugada no presente do indicativo; já a forma verbal “deitava” (l. 28) está no pretérito imperfeito do indicativo. As formas verbais “poderia” (l. 21) e “procurava” (l. 05) estão conjugadas, respectivamente, no futuro do pretérito do indicativo e no pretérito imperfeito do indicativo. As formas verbais “disse” (l. 25) e “tinha” (l. 18) estão conjugadas, respectivamente, no pretérito perfeito do indicativo e no pretérito imperfeito do indicativo. As formas verbais “tem” (l. 08) e “chore” (l. 15) estão conjugadas, respectivamente, no presente do indicativo e no presente do subjuntivo. RESPOSTA: E. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 136 a 150) E NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES ___________________________________________________________________ Questão 16 – Concordância verbal No trecho “ Países como Suécia, Alemanha, Espanha e Canadá há há algum tempo ____ legislações...” (l. 62-63), a lacuna deve ser preenchida pela forma verbal “têm”, com acento circunflexo diferencial, já que o referente sujeito é “Países”. Na lacuna do trecho “Na União Europeia, a legislação básica, válida para os 27 países membros, _____ tudo o que explore...” (l. 68-69), deve aparecer “proíbe”, no singular, porque o referente sujeito é “a legislação básica”. Quanto à lacuna da linha 73, deve ser preenchida pela forma verbal “mostre”, no singular, haja vista que o referente sujeito é “tudo” (l. 69). RESPOSTA: B. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA, NA APOSTILA (questões 72, 80, 81 e 82), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 25) ___________________________________________________________________ Questão 17 – Interpretação de texto O texto revela que “Quarenta milhões de americanos entre 2 e 12 anos são responsáveis por influenciar um a cada sete dólares gastos no mercado dos EUA” (l. 40-42), o que não autoriza afirmar que atualmente a população de americanos na faixa entre 2 e 12 anos não passe de 40 milhões de pessoas. Errada a opção (A). Nas linhas 14 a 19, observa-se que “pessoas com menos de 14 anos são responsáveis diretas por um gasto de 40 bilhões de dólares por ano – dez vezes mais do que dez anos atrás”, o que não sustenta a afirmação de que crianças com menos de 14 anos gastem por ano 4 bilhões de dólares a mais. A proporção não autoriza a afirmar que o crescimento tenha sido constante para que hoje seja dez vezes maior. Errada a alternativa (B). No texto, encontra-se a informação de que “40% das compras dos pais são influenciadas pelos filhos” (l. 48-49), não que 40% dos pais dependam da opinião dos filhos para comprar. Errada, portanto, a assertiva (C). O texto informa que “se os anúncios de redes de fast food fossem eliminados, a obesidade infantil diminuiria em 20%” (l. 28-30). Isso não autoriza a afirmação de que 20% das crianças obesas alimentam-se em redes de fast food. Errada a alternativa (D). RESPOSTA: E. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 231 a 265), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questões 03, 04 e 12) E NA PRÉ-PROVA (questão 03) ___________________________________________________________________ Questão 18 – Interpretação de texto O Conanda, segundo o texto, “aprovou resolução que proíbe propagandas voltadas para menores de idade no Brasil” (03-05). Não se pode inferir, portanto, que a resolução do Conanda proíba qualquer tipo de publicidade infantil no Brasil, porque “infantil” é uma etapa da menoridade. Apenas com essa visão do texto, estão erradas as opções (A), (B), (C) e (D). RESPOSTA: E. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 231 a 265), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questões 03, 04 e 12) E NA PRÉ-PROVA (questão 03) ___________________________________________________________________ Questão 19 – Equivalência de estruturas (reescritura de trecho) A opção (A) apresenta o segmento “a publicidade infantil é contrariamente ao Estatuto...”, quando deveria apresentar “contrária”. Errada a reescritura oferecida na alternativa (A). O segmento “é contrária ao que o Estatuto da Criança e do Adolescente e só deve...” apresenta ruptura de sentido com a presença do “que”. Errada a reescritura contida na alternativa (B). Correta gramaticalmente e equivalente ao trecho original a reescritura presente na opção (C). Não há continuidade de sentido no segmento “... a publicidade infantil é ... e só deve ser usada...”. Errada a reescritura oferecida na opção (D). A repetição do “que” em “e que só deve...” prejudica a correção gramatical na reescritura da opção (E). RESPOSTA: C. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 196 e 207), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 18) ___________________________________________________________________ Questão 20 – Identificação e classificação de conjunções No segmento “se os anúncios de redes de fast food fossem eliminados” (l. 28-29), a conjunção “se” é subordinativa adverbial condicional, podendo ser substituída, para comprovação, por “caso”. A conjunção “portanto” é coordenativa conclusiva, podendo ser substituída por “por isso”. Observe-se o trecho: “Nada mais natural, portanto, olharmos as crianças...” (l. 59-60). No trecho “A resolução do Conanda não tem força de lei, embora possa servir de base para futuros processos...” (l. 75-76), a conjunção “embora” é subordinativa concessiva, revelando ideia de oposição. Pode ser substituída por “ainda que”. RESPOSTA: A. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 196 a 210) E NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES ___________________________________________________________________ Questão 21 – Crase A substituição de “anular” por “anulação”, no trecho “Também aponta que a publicidade infantil tende a anular a autoridade...” (l. 30-31), criará as condições para o registro do sinal indicativo de crase. Observe-se: ““Também aponta que a publicidade infantil tende à anulação da autoridade...”. Isso ocorre porque o verbo “tender” exige preposição “a” e a palavra seguinte é feminina (“anulação”), exigindo artigo definido “a”. A sugestão de substituição apresentada na assertiva I criará condições de crase, mesmo que, na reconstrução, seja necessário trocar-se o “a” antes de “autoridade” por “da”, e a banca não abordou tal alteração. No trecho “... apenas 8% das crianças influenciavam as decisões de compras dos adultos” (l. 44-45), a substituição de “influenciavam” por “exerciam influência” não produzirá preposição “a”, porque a forma “exercer influência” exige preposição “em”. Observe-se o trecho já com a modificação sugerida: “... apenas 8% das crianças exerciam influência nas decisões de compras dos adultos”. Portanto a substituição sugerida na assertiva II não criará condições para a crase. Quanto à sugestão apresentada na assertiva III, a substituição de “ouvem” por “valorizam” no trecho “... 65% dos pais revelam que ouvem a opinião das crianças...” (l. 50-51), não acarretará crase, porque “valorizar é verbo transitivo direto, não exigindo preposição. O trecho, já modificado, ficará com a seguinte redação: “... 65% dos pais revelam que valorizam a opinião das crianças...”. O “a”, antes de “opinião” continuará sendo apenas artigo definido feminino singular. RESPOSTA: A. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 112 a 120), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questão 01) E NA PRÉ-PROVA (questão 01) ___________________________________________________________________ Questão 22 – Vozes verbais No trecho da alternativa (A), o segmento “deve ser usada” apresenta verbo auxiliar (“deve”), verbo “ser” (“ser”) e particípio (“usada”), o que a identifica como construção em voz passiva analítica. No segmento “fossem eliminados”, presente no trecho contido na opção (B), há verbo “ser” (“fossem”) e particípio (“eliminados”), o que a identifica como construção em voz passiva analítica. Não há segmento na voz passiva no trecho da alternativa (C). Toda ela está na voz ativa. O segmento “são influenciadas pelos filhos”, presente no trecho da assertiva (D), está na voz passiva analítica, porque possui verbo “ser” (“são”), particípio (“influenciadas”) e agente da passiva (“pelos filhos”). Na construção da alternativa (E), o segmento “foi banida” está na voz passiva analítica, porque apresenta verbo “ser” (“foi)” e particípio (“banida”). RESPOSTA: C. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 151 a 170), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questão 14) E NA PRÉ-PROVA (questão 06) ___________________________________________________________________ Questão 23 – Tempos e modos verbais As formas verbais “fossem” (VERBO “SER”) e “possa” (VERBO “PODER”) estão conjugadas, respectivamente, no pretérito imperfeito do subjuntivo e no presente do subjuntivo. Observe-se: verbo “SER” – pretérito imperfeito do subjuntivo Verbo “PODER” – presente do subjuntivo (se) eu fosse (que) eu possa (se) tu fosses (que) tu possas (se) ele(a) fosse (que) ele(a) possa (se) nós fôssemos (que) nós possamos (se) vós fôsseis (que) vós possais (se) eles(as) fossem (que) eles(as) possam RESPOSTA: B. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 136 a 150), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 17) ___________________________________________________________________ Questão 24 – Formação de palavras A palavra “compra” (l. 25) é formada por derivação regressiva, porque se deriva de verbo (“comprar”), que, perdendo o “r” final (desinência de forma nominal do infinitivo), gera o substantivo “compra”. Correta a alternativa (A). Quanto à opção (B), o substantivo “publicidade” (l. 30) é formado por derivação sufixal, em que o adjetivo “public(o)(a)” recebe vogal de ligação “i” mais sufixo “-dade”, formador de substantivo: “publicidade”. Na alternativa (C), o vocábulo “consumidoras” (l. 37) é formado por derivação prefixal e sufixal: (prefixo “com”) acrescido do radical “sum(i)” mais a consoante de ligação “d” com o sufixo “or” (formador de palavra que revela agente, função...) e, por fim, a desinência de gênero “a” (que indica feminino) e a desinência de número “s” (que revela plural). O substantivo “levantamento” (l. 47) é formado por derivação sufixal, em que a raiz do verbo “levantar” (“levant”) recebe vogal de ligação “a” e o sufixo “mento”, que indica movimento, ação. O adjetivo “incessante” é formado por derivação parassintética, em que o prefixo “in” (indicador de negação) se soma ao radical “cess” (de “cessar”) e ao sufixo “ante”, indicador de agente ou função. RESPOSTA: A. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 61 a 70), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 22) ___________________________________________________________________ Questão 25 – Funções do “que” No segmento “... um estudo que revela...”, a palavra “que” retoma o substantivo “estudo”, portanto funciona como pronome relativo. Com relação aos trechos “... revela que...” e “aponta que...”, a palavra “que está integrando o sentido, respectivamente, dos verbos “revelar” e “apontar”, o que lhe confere, nos dois casos, a classificação de conjunção subordinativa integrante. RESPOSTA: E. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 182, 184 e 185) E NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES ___________________________________________________________________ Questão 26 – Pontuação A vírgula depois de “Empresas” está sendo empregada para separar elementos de igual função sintática, separando a palavra de “agências e indústrias” (l. 20). Já as vírgulas do segmento “Segundo James McNeal, um dos papas do marketing infantil, estamos numa...” (l. 34-35) isolam aposto, que é qualificação. Portanto as vírgulas apontadas na assertiva I não têm como base a mesma regra. Errada a assertiva I. No segmento “Outro levantamento da Viacom, dona do canal infantil Nickelodeon, mostra que mais...” (l. 47-48), as vírgulas estão isolando aposto, que é qualificação, não vocativo, que é chamamento. Errada a assertiva II. Nos trechos “... consumidoras de diversos produtos, serviços e marcas...” (l. 60-61) e “tudo o que explore a inexperiência e credibilidade infantil, que encoraje crianças a persuadir pais ou outros a comprar...” (l. 69-71), as vírgulas depois de “produtos” (no primeiro segmento) e depois de “infantil” (no segundo trecho) são empregadas para separar elementos de igual função sintática, ou itens em série. Certa a assertiva III. RESPOSTA: C. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 211 a 230), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questão 13) E NA PRÉ-PROVA (questão 07) ___________________________________________________________________ Questão 27 – Semântica e interpretação de texto No segmento “Elas são tudo o que o mercado quer: consumidoras compulsivas...” (l. 36-37), a expressão “consumidoras compulsivas” expressa que as crianças apresentam imposição interna irresistível, ou seja, sofrem de “compulsão” ou “compulsividade” para comprar. Portanto está correta a assertiva (B). As demais, obviamente, não apresentam relação semântica com a ideia contida no trecho em exame. RESPOSTA: B. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 231 a 265), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, NO SIMULADO FINAL (questões 03, 04 e 12) E NA PRÉ-PROVA (questão 03) ___________________________________________________________________ Questão 28 – Classificação de orações Quanto às opções (A) e (B), as orações “que proíbe propagandas voltadas para menores de idade no Brasil” (l. 04-05) e “que está já há algum tempo em discussão” (l. 10-11) são subordinadas adjetivas restritivas, pois não aparecem virguladas nos trechos em que se inserem. Com relação à alternativa (C), a oração “que contempla o gasto com uma gama enorme de produtos” (l. 21-22) é subordinada adjetiva explicativa, pois faz referência a todo o universo tratado anteriormente e está isolada por vírgulas. Em referência à opção (D), a oração “que a busca incessante das empresas pela fidelização de seus clientes comece bem mais cedo” (l. 57-59) subordinada integrante, completando o sentido do verbo “fazer”, na forma “Faz todo sentido que a busca...”. Na alternativa (E), a oração “que encoraje crianças a persuadir pais ou outros a comprar produtos ou serviços” é subordinada objetiva direta decorrente do fragmento “proíbe tudo o que...”. RESPOSTA: C. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 196 a 210) E NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES, ___________________________________________________________________ Questão 29 – Funções sintáticas (complemento nominal) (A) No trecho “... consumo de produtos infantis...” (l. 12), a expressão destacada funciona como complemento nominal do substantivo “consumo”. (B) O segmento “... responsáveis por um gasto de 40 bilhões de dólares por ano...” (l. 17-18), o segmento destacado é complemento nominal do adjetivo “responsáveis”. (C) Em “... vulneráveis às tendências ditadas pela publicidade...” (l. 37-38), o trecho sublinhado tem função de complemento nominal do adjetivo “vulneráveis”. (D) No trecho “A criança consumidora de hoje...” (l. 54-55), a expressão sublinhada exerce função de adjunto adnominal, pois o termo “consumidora”, no segmento em que se encontra, aparece com sentido completo, não exigindo complemento nominal. (E) Quanto ao segmento “... busca incessante das empresas pela fidelização de seus clientes...” (l. 57-58), o trecho destacado é complemento nominal de “busca”. RESPOSTA: D. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 181 a 196), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 28) _________________________________________________________________ Questão 30 – Acentuação gráfica A palavra “saúde” (l 09) é acentuada porque apresenta “u” tônico, precedido de vogal e formando sílaba sozinho. Em “indústrias (l. 20), o acento se deve ao fato de ser palavra paroxítona terminada em ditongo crescente. Portanto, na assertiva I, as palavras não recebem acento em razão da mesma regra. O vocábulo “atrás” é acentuado por ser oxítono terminado em “as”. Já “às” apresenta sinal indicativo de crase, que ocorre por razões sintáticas, não se submetendo às regras de acentuação gráfica. Logo as palavras presentes na assertiva II não se acentuam por igual regra. As palavras “espécie” e família” são acentuadas por serem paroxítonas terminadas em ditongo crescente. Aqui ambas as palavras, portanto, são acentuada em virtude da mesma regra. Correta a assertiva III. RESPOSTA: C. ASSUNTO TRABALHADO EM AULA REGULAR, NA APOSTILA (questões 21 a 40), NOS CURSOS DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES E NO SIMULADO FINAL (questão 06) ___________________________________________________________________ O GABARITO OFERECIDO À QUESTÃO 07 DESTA PROVA É RECORRÍVEL – VEJA EXPLICAÇÕES NOS COMENTÁRIOS ESPECÍFICOS À QUESTÃO 07. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É vedada a reprodução total ou parcial deste material, por qualquer meio ou processo. A violação de direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa (art. 184 e parágrafos do Código Penal), conjuntamente com busca e apreensão e indenizações diversas (arts. 101 a 110 da Lei nº 9.610, de 19/02/98 – Lei dos Direitos Autorais). Publicado no saite do CPC (WWW.cpcrs.com.br) e no blog professormenegotto.blogspot.com.br.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL - CONCURSO REALIZADO NOS DIAS 10 E 11 DE MAIO DE 2014

COMENTÁRIOS E RESPOSTAS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO CONCURSO PARA AUDITO FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL – BANCA DA ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA – ESAF – PROCESSO DE SELEÇÃO OCORRIDO NOS DIAS 10 E 11 DE MAIO DE 2014 Questão 41 – Diversos aspectos gramaticais e sintáticos. No trecho “Além da punição prevista em lei, impõem-se ações aptas a evitar que cenas de preconceito se repitam. Entre elas, campanhas governamentais destinadas à mudança de mentalidade da população” (l. 16-20), o pronome “elas” (destacado no trecho transcrito) retoma “ações”. Errada, portanto, a assertiva E. As demais opções estão corretas. RESPOSTA: E. _____________________________________________________________________________________ Questão 42 – Crase. Nas lacunas 1, 2, 3 e 4, deve ser lançado apenas o artigo “a”. Observe-se: na 1, a preposição “Sem” não exige preposição, portanto resta apenas artigo que se refere à palavra “pujança”; na 2, trata-se obviamente de artigo que define “Europa”; na 3, a preposição “Após” impede a presença de outra preposição, logo se trata apenas de artigo que define “crise”; na 4, o verbo “exercer” é transitivo direto, não exigindo preposição, por isso existe apenas artigo que define “representação”. Na lacuna 5, deve ser registrada a contração da preposição “a”, exigida pelo substantivo “agressão”, com o artigo “as”, que define “minorias”, portanto com sinal de crase. RESPOSTA: B. _____________________________________________________________________________________ Questão 43 – Regência. A lacuna 1 deve receber “para o”, porque a construção “... que extinguiu a aposentadoria integral...” assim exige (extinguiu a aposentadoria “para” quem?); quanto à lacuna 2, o verbo “contar”, empregado no sentido de considerar”, exige a preposição “com”, portanto o espaço deve receber “com esse”; a lacuna 3 deve ser preenchida por “para as”, exigido, da mesma forma que para a lacuna 1, pela construção “condições mais rigorosas para as novas aposentadorias” (condições mais rigorosas para quem?); a lacuna 4 deve receber “com o”, pela ideia gerada no fragmento: “... a proporção dos servidores inativos em relação ao total de funcionários da União se estabilizou e, com o gradual envelhecimento médio dos funcionários ativos, poderá voltar a crescer...”; a lacuna 5 poderia ser preenchida tanto por “em” quanto por “dentro de”, fazendo-se referência ao tempo; na última lacuna (6), existe referência a tempo passado, portanto deve ser empregado verbo “haver”: “há”. RESPOSTA: D. _____________________________________________________________________________________ Questão 44 – Diversos aspectos gramaticais. O adjetivo “espontâneo” deve ser escrito com “s”, não com “x”, porque não se trata de prefixo indicador de movimento para fora, como em “externo”, “exportar”... As demais opções estão corretas. RESPOSTA: C. Questão 45 – Interpretação de texto (reordenação de trechos) O terceiro fragmento, na ordem apresentada pela questão, corresponde ao início do texto, porque nele se encontram informações inaugurais, sem referências, por pronomes ou outros operadores, a ideias anteriores. O primeiro fragmento deve ser a continuação, correspondente ao segundo trecho do texto, porque o segmento “Esse poder Legislativo” faz nítida referência ao “Legislativo”. No quinto fragmento, encontra-se referência às medidas como o policiamento ostensivo e aumento da vigilância, o que confere ao trecho continuidade. O quarto fragmento é continuação do quinto, porque ali se encontram ideias referentes ao aparato de segurança, referido no seguinte. O sexto fragmento corresponde ao quinto trecho do texto reordenado, porque nele se veem ideias referentes às falhas ou falta de atualização do legislativo, agora especificados com relação ao caso do menor infrator. Por fim, o segundo fragmento deve ser o final do trecho reordenado, porque encerra a discussão. A reordenação obedece, portanto, à ordem 2, 6, 1, 4, 3 e 5. RESPOSTA: B. _____________________________________________________________________________________ Questão 46 – Diversos aspectos gramaticais e sintáticos. Há dois erros no fragmento da assertiva “b”: 1) a forma verbal “reinvindicava” deve ser grafada “reivindicava”; 2) deve aparecer vírgula antes de “e” no trecho “... o monarca, que reivindicava a soberania para si, ‘criava’ os tributos, e os súditos deviam suportá-los...”, porque se trata de sujeitos diferentes (“monarca” e “súditos”). No fragmento “c”, há dois erros: 1) a forma verbal “têm” aparece no plural, devendo ser corrigida para “tem” (no singular), porque se refere a “Estado”, que é seu sujeito e está no singular; 2) o segmento “no exercício dessa soberania” deve ficar isolado por vírgulas, porque se trata de adjunto adverbial deslocado: “... superior, e, no exercício dessa soberania, ele exige...”. Poderia aparecer sem vírgulas, mas no texto original já há uma vírgula registrada (a segunda), portanto deve ser registrada a outra (primeira), ou se retirar a que vem após “soberania”. Dois erros devem ser reconhecidos na alternativa “d”: 1) a forma verbal “pregam” deve aparecer no singular, pois seu sujeito é “constitucionalismo”, portanto “... o constitucionalismo pode ser concebido como movimento ideológico e filosófico que prega...”; 2) no final do trecho, lê-se “o que haveria de repercutirem...” quando deve ser “o que haveria de repercutir”, porque o sujeito de “repercutir” é “que”. Há dois erros na alternativa “e”: 1) não há vírgula depois de “vitoriosos”, pois o termo imediatamente seguinte é o sujeito do segmento anterior: “Conforme foram sagrando-se vitoriosos os movimentos constitucionais”; 2) no trecho “em que a uma consolidação da máquina pública...” deve ser corrigido para “em que há uma consolidação da máquina pública...”, já que se trata de “existir”, “haver”. RESPOSTA: A. _____________________________________________________________________________________ Questão 47 – Interpretação de texto e aspectos gramaticais. Logo após o trecho inicial do texto, que enseja e exige, na continuidade, uma explicação, o fragmento que lhe completa o sentido, correta e coerentemente, está na opção “d”. Estão errados os fragmentos oferecidos nas alternativas “a” e “b”, porque neles foram empregadas, respectivamente, as conjunções “conquanto” e “embora”, que são subordinativas concessivas e introduzem ideia de oposição. Na opção “a”, foi empregada como “enquanto”; na opção “b”, o segmento que a segue não revela ideia de oposição. Errada também a opção “c”, porque o trecho introduz “poder tributário”, o que é estranho e incoerente à introdução do texto. Há erro de continuidade na opção “e”, pois insere elementos estranhos à explicação esperada, como “poder tributário” e “Assembleia Constituinte”. RESPOSTA: D. _____________________________________________________________________________________ Questão 48 – Diversos aspectos gramaticais e sintáticos. Na alternativa “a”, existe erro de concordância nominal no registro de “lentas”, cujo referente é “recuperação”, devendo ser “lenta”. A opção “c” apresenta deslize no emprego de “cujo”, incabível na construção, porque não há elemento possuidor e possuído. O fragmento corrigido é “... e não há nenhum sinal de que esse movimento se esgotará tão logo”. A exigência de “de” vem de “sinal”. Dois erros estão registrados na alternativa “d”: 1) no segmento “... diz respeito mais as reformas...” deve haver sinal indicativo de crase, exigido pela contração da preposição “a”, regida por “respeito”, e pelo artigo “as”, exigido por “reformas”. Corrigido, o trecho ficará com a seguinte redação: “... diz respeito mais às reformas...”. A forma verbal “desenvolveram”, no final do trecho contido na opção “e”, está no indicativo, devendo aparecer no subjuntivo: “desenvolverem”. RESPOSTA: B. _____________________________________________________________________________________ Questão 49 – Diversos aspectos gramaticais e sintáticos. No trecho “De acordo com o Subsecretário, os números corroboram...” (l. 4-5), a forma verbal “corroboram” (destacada na transcrição) tem valor semântico de “confirmar”, “ratificar”, “fortalecer”, portanto está errada a assertiva “a”. A forma verbal “conseguimos” (l. 9) está na primeira pessoa do plural porque faz referência à consecução de uma meta obtida pelo trabalho de várias pessoas, ou, numa hipótese mais remota, a todos os brasileiros, não apenas a moradores de fronteiras. Errada, portanto, a alternativa “b”. No segmento “... foram realizadas 2.999 operações...” (l. 18), a substituição de “foram realizadas” por “realizaram-se” não prejudica a correção gramatical e a coerência textual. Observe-se o trecho já com a alteração: “... realizaram-se 2.999 operações...”. Errada, portanto, a alternativa “c”. A substituição de “encontram-se” por “foi encontrado”, no trecho “Entre as mercadorias apreendidas encontram-se produtos falsificados, tóxicos, medicamentos...” (l. 24), não mantém a correção gramatical do período, porque o sujeito de “encontram-se” é “produtos falsificados, tóxicos, medicamentos...”, portanto o verbo deve estar no plural: “foram encontrados”. Errada a assertiva “d”. RESPOSTA: E. _____________________________________________________________________________________ Questão 50 – Diversos aspectos gramaticais e sintáticos. O segmento destacado referente a (3) está errado, porque o verbo (“seja”) e o “predicativo (“outorgado”) têm como referente sujeito “vários tributos”, devendo aparecer no plural: “... sejam outorgados ... vários tributos ...”. Errada a alternativa “c”. As demais expressões destacadas no texto estão corretas. RESPOSTA: C. _____________________________________________________________________________________ Questão 51 – Concordância verbal. No trecho “Uma delas aponta...” (l. 3), o verbo destacado está no singular porque o núcleo do sujeito é “Uma”. A sugestão da alternativa “a”, de pluralizar para “apontam” produziria erro gramatical. As demais sugestões estão corretas. RESPOSTA: A. _____________________________________________________________________________________ Questão 52 – Pontuação. Se, no trecho “Duas pesquisas divulgadas recentemente revelam que os brasileiros não são tão solidários quanto parece” (l. 1-3), fosse lançada vírgula logo após “recentemente”, o sujeito (“Duas Pesquisas”) ficaria separado de seu predicado. Errada, portanto, a afirmação contida na alternativa “a”. No segmento “As organizações não governamentais (ONGs) levam só 14%...” (l. 5-6) , os parênteses poderiam ser substituídos por duas vírgulas, ou por travessões, mas não poderiam ser substituídos por travessão (o primeiro) e por vírgula (o segundo). Errada a sugestão contida na opção “b”. Não se respeitam as regras de pontuação se se registrar vírgula depois do “que”, destacado no trecho “Além disso, poucos contribuintes sabem que é possível abater impostos através de doações – embora o complicado processo afaste também quem conhece o sistema” (l. 6-10), pois ela separaria a conjunção integrante de sua oração. Errada a assertiva “c”. Preservam a coerência textual e o respeito às regras da pontuação se, no trecho “Além disso, poucos contribuintes sabem que é possível abater impostos através de doações – embora o complicado processo afaste também quem conhece o sistema” (l. 6-10), for substituído o travessão por vírgula. Observe-se a construção já com a alteração sugerida: “Além disso, poucos contribuintes sabem que é possível abater impostos através de doações, embora o complicado processo afaste também quem conhece o sistema”. Portanto está correta a alternativa “d”. No trecho “... embora o complicado processo afaste também quem conhece o sistema”, o registro de vírgula depois de também produziria erro de pontuação, pois separaria o verbo (“afaste”) de seu objeto (“quem conhece o sistema”). Errada a alternativa “e”. RESPOSTA: D. _____________________________________________________________________________________ Questão 53 – Interpretação de texto e aspectos gramaticais. O fragmento correspondente à alternativa “a” não se insere de modo coerente e correto no contexto. Falta-lhe coerência porque, ao reafirmar a informação presente no trecho inicial, não especifica de modo esperado quais as outras vantagens terão os investidores. Do ponto de vista gramatical, o segmento “Assim é que” é defeituoso, e o verbo “visar”, em “visem superar”, está empregado como transitivo indireto, devendo ser corrigido para “visem a superar”. Errada a opção “a”. O fragmento “b” apresenta erros de coerência e de sintaxe. Quanto à coerência, repete o erro da opção “a”, porque não especifica quais as outras vantagens terão os investidores; quanto à sintaxe, há erro de pontuação no fragmento: a oração “quando seguidas e adequadamente fiscalizadas” é subordinada adverbial temporal e deve ficar isolada por vírgulas. No contexto, aparece apenas a primeira vírgula. Errada a opção “b”. Correta a sugestão de redação oferecida na alternativa “c”, pois insere oposição com o auxílio da oração coordenada adversativa iniciada por “Mas” e apresenta ideia coerente com o trecho inicial. Na alternativa “d”, o fragmento oferecido não guarda coerência com o trecho inicial do texto, porque generaliza a aplicabilidade das estratégias fiscais e não especifica as situações de vulnerabilidade. Errada a opção “d”. Errada a opção “e”, porque não guarda coerência de continuidade ao trecho inicial, além de apresentar erro de concordância verbal na forma “surge”, no singular, já que o sujeito é “desigualdades sociais” (deveria ser “surgem”). RESPOSTA: C. _____________________________________________________________________________________ Questão 54 – Reescritura de trecho com aspectos gramaticais. Há erros diversos na reescritura apresentada na opção “a”: 1) quanto à pontuação, deve ser lançada vírgula após “contemporâneos”, para fechar o isolamento em que a expressão “complexos e contemporâneos” aparece; 2) a construção de “pode ser contribuída” é impossível, porque se colocou verbo transitivo indireto numa voz passiva; além do erro sintático, não mantém o sentido original da mensagem; 3) apenas para argumentar, se fosse possível manter “pode ser contribuída”, deveria aparecer ponto-e-vírgula. Errada a reescritura oferecida na opção “a”. Correta e coerente a reconstrução oferecida na alternativa “c”. Quanto à opção “d”, há pelo menos erro de concordância verbal na reconstrução “alguns dos complexos problemas contemporâneos pode ter solução”, devendo ser corrigido para “alguns dos complexos problemas contemporâneos podem ter solução”. Errada a reescritura oferecida na alternativa “d”. Falta coerência e clareza na construção “pode ser sua contribuição”, além de haver errado registro de vírgula depois de “contribuição”. Errada a opção “e”. RESPOSTA: C. _____________________________________________________________________________________ Questão 55 – Diversos aspectos gramaticais. No trecho “No Brasil, a criação e a paulatina expansão...” (l. 1), a supressão do artigo antes de “paulatina” não prejudica as relações de coesão e a coerência argumentativa da mensagem. O artigo está definindo “criação” e “expansão” nos dois segmentos, podendo ficar apenas diante do primeiro. Observe-se a construção já com a supressão do artigo: “No Brasil, a criação e paulatina expansão...”. A sugestão da opção “a” não altera o texto. Na opção “b”, a supressão do artigo na contração “Na”, no trecho “Na administração pública, além de concretizar o direito constitucional...” (l. 7-8), não prejudica as relações de coesão e a coerência argumentativa da mensagem. Observe-se o texto já com a supressão do artigo na contração: “Em administração pública, além de concretizar o direito constitucional...”. Quanto à alternativa “c”, a supressão do artigo antes de “direito”, no trecho “Na administração pública, além de concretizar o direito constitucional de petição...” (l. 7-8), não prejudica as relações de coesão e a coerência argumentativa da mensagem. Observe-se o texto já com a supressão do artigo: “Na administração pública, além de concretizar direito constitucional de petição...”. A sugestão presente na opção “d”, com relação à supressão do artigo antes de “ouvidorias”, no trecho “Na administração pública, além de concretizar o direito constitucional de petição, fornecendo aos cidadãos um canal adequado para tratamento de reclamações, denúncias e sugestões, as ouvidorias ampliam a transparência...” (l. 7-11), não prejudica as relações de coesão e a coerência argumentativa da mensagem. Observe-se o texto já com a supressão do artigo: “Na administração pública, além de concretizar o direito constitucional de petição, fornecendo aos cidadãos um canal adequado para tratamento de reclamações, denúncias e sugestões, ouvidorias ampliam a transparência...”. Com relação à alternativa “e”, a supressão do artigo na contração “da” antes de “população”, no trecho “... aproximando o Estado da população...” (l. 17-17), deixando-se apenas a preposição “de”, causaria ausência de especificidade e, consequentemente, ficam prejudicadas as relações de coerência e de coesão, pois a contração “da” indica a associação de “Estado” à sua “população”. Observe-se como o trecho causaria alterações d coerência: “... aproximando o Estado de população...”. RESPOSTA: E. _____________________________________________________________________________________ Questão 56 – Interpretação de texto. No início do texto, observa-se que “a criação e a paulatina expansão das ouvidorias são consequências da centralidade dos direitos fundamentais e do princípio da dignidade da pessoa humana na Constituição de 1988...”, portanto as ouvidorias decorrem do exercício dos direitos fundamentais assegurados pela Constituição de 1988. Está errada a assertiva I, porque as ouvidorias não tornaram possível a inserção do princípio da dignidade da pessoa humana, mas surgiram com o princípio da dignidade humana. As demais assertivas estão de acordo com o texto. RESPOSTA: E. _____________________________________________________________________________________ Questão 57 – Regência e emprego de preposições. No trecho “... direcionem parte do valor devido ao Fundo Municipal...” (l. 9-10), a preposição “a”, na combinação “ao” (destacada na transcrição), é regida pela forma verbal “direcionem”. Errada a alternativa “a”. Correta a assertiva “b”, porque, trecho “... não traz ônus a quem...” (l. 13), a preposição “a” (destacada na transcrição) é regida pelo verbo “trazer”. No trecho “O valor destinado ao Fundo Municipal...” (l. 15), a preposição “a” na combinação “ao” (destacada na transcrição) é regida por “destinado”. Errada a opção “c”. A preposição “a”, na combinação “ao”, no trecho “... declaração anual ou acrescido ao IR...” (l. 18), é regida por “acrescido”. Errada a alternativa “d”. A preposição “a”, no trecho “A doação pode ser dirigida a um projeto de escolha do doador...” (l. 23-24), é regida por “dirigida”, não por “doação”. Errada a alternativa “e”. RESPOSTA: B. _____________________________________________________________________________________ Questão 58 – Tempos e modos verbais e seus significados. No trecho “A ideia é que todos que queiram participar...” (l. 8), a forma verbal destacada está conjugada no presente do subjuntivo, que, de regra, revela possibilidade ou hipótese. Correta a assertiva “b”. As demais opções apresentam verbos na forma nominal do infinitivo (“ajudar”, na opção “a”) e no indicativo (opções “c”, “d” e “e”), formas que indicam ação certa, não hipotética. RESPOSTA: B. _____________________________________________________________________________________ Questão 59 – Diversos aspectos gramaticais. No trecho contido na opção “d”, há três erros, a saber: 1) no segmento “... eles são um problema por que criam um suposto crédito falso...”, a expressão sublinhada deve ser grafada “porque”, já que se trata de explicação; 2) na forma verbal “têm”, no segmento “... o Estado não têm...”, há indicação de plural, quando o sujeito é “o Estado”, portanto deve ser “tem”, sem o acento diferencial; 3) no segmento “Lembremos, ainda que a dívida...”, o adjunto adverbial “ainda” deve ficar sem a vírgula anterior ou com duas vírgulas, antes e depois, já que está deslocado. Observe-se a correção: “Lembremos, ainda, que a dívida...”, ou “Lembremos ainda que a dívida...”. Nos demais trechos, não há incorreções. RESPOSTA: D. _____________________________________________________________________________________ Questão 60 – Diversos aspectos gramaticais. No trecho “... é fundamental para a construção de uma República efetivamente democrática, em que os eleitores tenham plena consciência...” (l. 4-6), a preposição “em” (destacada na transcrição) é obrigatória, podendo ser contraída com o artigo “a”, obtendo-se “na qual”, cuja relação se associa ao termo “República”. Não se pode, portanto, substituir “em que” por “a qual”. Errada a assertiva “a”; As demais opções estão corretas. RESPOSTA: A. _____________________________________________________________________________________ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.É vedada a reprodução total ou parcial deste material, por qualquer meio ou processo. A violação de direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa (art. 184 e parágrafos do Código Penal), conjuntamente com busca e apreensão e indenizações diversas (arts. 101 a 110 da Lei nº 9.610, de 19/02/98 – Lei dos Direitos Autorais). Prof. Menegotto® - menegotto@cpcrs.com.br - professormenegotto.blogspot.com - WWW.cpcrs.com.br

quarta-feira, 23 de abril de 2014

PERGUNTAS E DÚVIDAS

Perguntas e dúvidas devem ser direcionadas ao endereço menegotto@cpcrs.com.br. No blog, não responderei. Prof. Menegotto.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DA PGE-RS, NÍVEL MÉDIO, EM CONCURSO REALIZADO NO DIA 6 DE ABRIL DE 2014

COMENTÁRIOS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DO CONCURSO PARA AGENTE ADMINISTRATIVO DA PROCURADORIA GERAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL – PGE-RS – BANCA DA FUNDATEC – Certame realizado no dia 6 de abril de 2014 QUESTÃO 01 – Crase QUESTÃO RECORRÍVEL Com relação à lacuna da linha 09, observe-se que, no trecho “disse Tal Speer, seu porta-voz, ______ BBC Brasil”, o verbo “dizer”, na forma da 3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo (“disse”), exige preposição “a”. Já o nome BBC Brasil, sigla de “British Broadcasting Corporation”, ou, em Português, "Corporação Britânica de Radiodifusão”, é nome próprio e feminino. A indicação de artigo antes de nome próprio é opcional em Língua Portuguesa. A lacuna da linha 09, portanto, pode ser preenchida apenas pela preposição “a”, ou pela contração de preposição “a” com artigo “a” (“à”). Na lacuna da linha 13, deve aparecer apenas o artigo “a”, articulando a palavra feminina “liderança”, porque, no trecho “exortando ____ liderança política”, o verbo “exortar” é transitivo direto (quem exorta exorta alguma coisa ou alguém). Já na lacuna da linha 15, deve aparecer apenas a preposição “a”, no trecho “em meio ______ negociações”, porque a palavra “negociações está no plural, e não existe crase no “a” singular antes de palavra no plural. A banca ofereceu duas alternativas (C e E), sendo uma com sinal indicativo de crase para a primeira lacuna e outra apenas com a preposição. Logo a questão merece ser anulada, pois as duas respostas são válidas, pelas razões expostas nos comentários ao preenchimento da primeira lacuna. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 02 – Interpretação de texto No trecho “Bibi, sem um acordo não conseguiremos reduzir o custo de vida. Só você pode”, diz um dos cartazes...” (l. 05-06), o segmento “não conseguiremos” está na primeira pessoa do plural (“nós”), que significa todos os israelenses. Certa a assertiva I. O segmento “para nós”, no trecho “aproveitar a janela de oportunidades, que foi aberta para nós” (l.14), o pronome “nós” representa todos os israelenses. Certa a assertiva II. Com relação ao segmento “O BTI não é um grupo de esquerda, não é um movimento político, nossa mensagem é dirigida a todos os setores da sociedade” (l.22-23), o fragmento “nossa mensagem” é pronunciado por um integrante do BTI, portanto o pronome pessoal reto “nós”, subentendido no pronome possessivo “nossa”, não representa todos os israelenses. Errada a assertiva III. RESPOSTA: A. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 03 – Interpretação de texto A partir do trecho “Bibi, sem um acordo não conseguiremos reduzir o custo de vida. Só você pode”, diz um dos cartazes...” (l. 05-06) e de outros segmentos do texto, é possível observar que um acordo de paz com os palestinos seria benéfico para a economia de Israel. Correta a interpretação contida na opção A. Nos segmentos “De acordo com ele (Tal Speer), a campanha é inédita”, e “Esta é a primeira vez que grandes empresários israelenses se organizam e se manifestam publicamente para convencer a sociedade e o governo de que a paz é necessária para a prosperidade do país” (l.10-12), encontra-se subsídio para a afirmação de que a campanha é inédita porque é a primeira vez que empresários israelenses dizem publicamente que a paz pode trazer prosperidade. Correta a alternativa B. Entende-se do texto que a campanha do grupo denominado BTI se dirige às lideranças políticas (primeiro-ministro Binyamin Netanyahu e ao governo) e à opinião pública israelense e procura tirar proveito das negociações de paz sob mediação dos Estados Unidos, conforme se observa entre as linhas 12 a 17. Correta a alternativa C. É certa a ideia presente no texto de que a campanha defende posições que tradicionalmente são de esquerda, conforme se observa no trecho compreendido entre as linhas 20 a 22. Correta, também, a ideia de que grupos de extrema-direita vêm organizando manifestações contra a campanha, mas não pelo fato de que seja bandeira da esquerda. Isso não está no texto. Errada a opção D. Correta a ideia de que a campanha defende posições que tradicionalmente são de esquerda, conforme se observa no trecho compreendido entre as linhas 20 a 22. Certa também a interpretação de que as pesquisas de opinião indicam que a maioria dos israelenses apoia um acordo de paz, conforme se observa no trecho entre as linhas 23 e 25. Correta a interpretação contida na opção E. RESPOSTA: D. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 04 – Identificação de referentes No trecho “Um grupo formado por alguns dos maiores empresários de Israel lançou uma campanha pública em que defendem um tratado de paz com os palestinos. Eles sustentam que um acordo com os rivais históricos...” (l. 01-02), o pronome reto “Eles” (destacado no trecho transcrito) retoma “empresários de Israel”. Correta a assertiva A. Observando-se, novamente, o trecho acima transcrito, pode-se verificar que “os rivais históricos” (destacado) são os palestinos. Correta a alternativa B. Quanto ao segmento “A campanha é totalmente financiada pelos empresários” (l. 08), “(pel)os empresários” são os mesmos responsáveis pela campanha. Correta a alternativa C. No trecho “aproveitar a janela de oportunidades, que foi aberta para nós, para chegar a um acordo que ponha fim ao conflito: a campanha ocorre em meio a negociações de paz mediadas pelo secretário de Estado americano, John Kerry, que deverá apresentar nas próximas semanas um esboço do acordo para a avaliação dos líderes israelenses e palestinos” (l.14-17), a expressão “a janela de oportunidades” (grifada na transcrição) se refere às negociações de paz mediadas pelo secretário America John Kerry. Correta a alternativa D. Retomando-se o trecho “aproveitar a janela de oportunidades, que foi aberta para nós, para chegar a um acordo que ponha fim ao conflito: a campanha ocorre em meio a negociações de paz mediadas pelo secretário de Estado americano, John Kerry, que deverá apresentar nas próximas semanas um esboço do acordo para a avaliação dos líderes israelenses e palestinos” (l.14-17) e sua continuação “A aproximação desse momento...” (l. 17), a expressão (d)esse momento (grifada na transcrição) se refere à apresentação de um esboço do acordo para avaliação dos líderes israelenses e palestinos, e não ao início das negociações mediadas por John Kerry. Errada a alternativa E. RESPOSTA: E. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 05 – Alteração de ordem com alteração de sentido Quanto à assertiva I, no trecho “Eles sustentam que um acordo com os rivais históricos seria vantajoso economicamente para os dois lados envolvidos no conflito” (l.02-03), o deslocamento do advérbio “economicamente” (destacado na transcrição) para imediatamente após “envolvidos” causaria alteração de sentido, porque, no trecho original, o advérbio está modificando o sentido do adjetivo “vantajoso”, e depois de “envolvidos” passaria a modificar o sentido desse termo. Observe-se: “Eles sustentam que um acordo com os rivais históricos seria vantajoso para os dois lados envolvidos economicamente no conflito”. Tal sugestão altera o sentido original do texto. Quanto à assertiva II, no trecho “... publicou anúncios de páginas inteiras nos principais jornais israelenses e também colocou cartazes em locais estratégicos das maiores cidades do país” (l. 04-05), o advérbio “também” (destacado na transcrição) está unindo duas ações, representadas pelos verbos “publicou” e “colocou”, modificando o sentido do segundo verbo, notadamente. O deslocamento de “também” para imediatamente antes de “das maiores cidades do país” provocaria alteração de sentido, porque não continuaria modificando o sentido do verbo “colocou”, sendo possível entender que colocou cartazes em outros locais e “também (nos locais estratégicos) das maiores cidades do país. Observe-se: “... publicou anúncios de páginas inteiras nos principais jornais israelenses e colocou cartazes em locais estratégicos também das maiores cidades do país”. Tal sugestão altera o sentido original do texto. Em relação à assertiva III, quanto ao trecho “que deverá apresentar nas próximas semanas um esboço...” (l. 16), a alteração do adjunto adverbial “nas próximas semanas” (destacado na transcrição) para imediatamente antes de “deverá” não alterará o sentido original da mensagem. Observe-se: “que nas próximas semanas deverá apresentar um esboço...”. Tal sugestão não altera o sentido original do texto. RESPOSTA: B. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 06 – Semântica e verbos QUESTÃO RECORRÍVEL No trecho “Eles sustentam que um acordo com os rivais históricos seria vantajoso economicamente para os dois lados envolvidos no conflito” (l.02-03), o verbo destacado está conjugado no futuro do pretérito do indicativo. Conservando o sentido, poderia ser substituído pela locução verbal “poderia ser”, cujo verbo auxiliar (“poderia”) está também no futuro do pretérito do indicativo. Observe-se que “seria” não pode ser substituído por “será”, porque esta forma está no futuro do presente do indicativo, o que produziria alteração no sentido da mensagem. Quanto ao verbo destacado no segmento “aproveitar a janela de oportunidades, que foi aberta para nós, para chegar a um acordo que ponha fim ao conflito: a campanha ocorre...” (l. 14-15), é importante observar que está conjugado no presente do subjuntivo, o que enseja sua substituição por “consiga pôr”, cuja locução verbal apresenta o verbo auxiliar também no presente do subjuntivo. Observe-se que “ponha” não pode ser substituído por “porá”, porque esta forma está no futuro do presente do indicativo, o que produziria alteração no sentido da mensagem. Já a forma verbal destacada no segmento “que deverá apresentar nas próximas semanas um esboço...” (l. 16) está conjugada no futuro do presente do indicativo, sendo verbo auxiliar na locução verbal “deverá apresentar”. A substituição mais adequada é pelo verbo “ir”, na forma do presente do indicativo “vai”, que, somada à forma “apresentar”, gerará ideia de futuro: “vai apresentar”. Observe-se que “deverá” não pode ser substituído por “comprometeu-se a”, porque esta forma verbal alteraria a mensagem, haja vista a inexistência, no texto, da ideia de que John Kerry tenha se comprometido com algo. A ideia presente no texto é a que realmente “deverá apresentar”, equivalente a “vai apresentar”. A banca ofereceu como correta a alternativa A, mas, conforme se explicou, a forma “comprometeu-se” não é cabível, pois não há, no texto, ideia que sustente o comprometimento de John Kerry. Questão passível de recurso e de anulação, por falta de resposta adequada à proposta. ____________________________________________________________________________ QUESTÃO 07 – Pontuação No segmento “a campanha ocorre em meio a negociações de paz mediadas pelo secretário de Estado americano, John Kerry, que deverá apresentar nas próximas semanas um esboço do acordo para a avaliação dos líderes israelenses e palestinos” (l.15-17), as vírgulas antes e depois de “John Kerry” isolam aposto, não podendo ser eliminadas. A supressão das vírgulas, além de provocar erro gramatical, alteraria o sentido do texto, porque transformaria “John Kerry” num dos secretários de Estado americanos, quando, em verdade, com as vírgulas, que têm função explicativa, “John Kerry” é o único secretário de Estado americano. Errada a assertiva I. No trecho “A proposta dos empresários israelenses também causou surpresa porque, tradicionalmente, a defesa de um acordo de paz – e da retirada de colonos judeus de territórios palestinos – é uma bandeira...” (l. 20-21), os travessões estão registrados por questão de destaque, podendo, portanto, ser suprimidos, sem causar alteração de sentido ou erro gramatical. Correta a assertiva II. Quanto ao segmento “O BTI não é um grupo de esquerda, não é um movimento político, nossa mensagem é dirigida a todos os setores da sociedade” (l. 22-23), trata-se de período composto por coordenação contendo três orações coordenadas sem o uso de nexo. Por isso as vírgulas podem ser substituídas por ponto-e-vírgula sem causar alteração de sentido ou prejuízo gramatical ao trecho. Observe-se o período já com as modificações sugeridas: “O BTI não é um grupo de esquerda; não é um movimento político; nossa mensagem é dirigida a todos os setores da sociedade”. Correta a assertiva III. RESPOSTA: D. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 08 – Flexão de palavras compostas O composto “porta-voz” é constituído por verbo (“porta”, de “portar”) e substantivo. Todo composto formado por verbo e substantivo só apresentará flexão no segundo termo, portanto o correto é “porta-vozes”. Já em “abaixo-assinado”, o composto é formado por palavra invariável (“abaixo”, que é advérbio) e adjetivo (“assinado”). Todo composto formado por palavra invariável e adjetivo só apresentará flexão no segundo termo, portanto o correto é “abaixo-assinados”. Na palavra “extrema-direita”, o primeiro termo é adjetivo; já a palavra “direita” está sendo empregada como substantivo, portanto a flexão deve ser feita nos dois termos: “extremas-direitas”, como “curtos-circuitos”, “novos-ricos”. RESPOSTA: B. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 09 – Reescritura e equivalência de trechos No segmento “Um grupo formado por alguns dos maiores empresários de Israel lançou uma campanha pública em que defendem um tratado de paz com os palestinos” (l. 01-02), a substituição de “defendem” (destacado na transcrição) por “argumentam a favor de” manteria a correção gramatical do contexto. Observe-se o trecho já com a modificação: “Um grupo formado por alguns dos maiores empresários de Israel lançou uma campanha pública em que argumentam a favor de um tratado de paz com os palestinos”. Correta a sugestão de reescrita da assertiva I. Quanto ao trecho “A campanha é totalmente financiada pelos empresários, que são responsáveis por uma grande parcela do PIB de Israel” (l. 08-09), a substituição do segmento “são responsáveis por” (destacado na transcrição) por “se atribui a responsabilidade por” exigiria outras alterações no período. Observe-se: “A campanha é totalmente financiada pelos empresários, a quem se atribui a responsabilidade por uma grande parcela do PIB de Israel”. Portanto a reescritura exigirá outras alterações no período, a saber: deve aparecer preposição “a”, regida por “atribui” (quem atribui atribui algo “a” alguém”), além da troca de “que” por “quem”, porque se trata de seres humanos. assertiva II. Errada a assertiva II. No que diz respeito à terceira sugestão de reescritura, no trecho “que deverá apresentar nas próximas semanas um esboço...” (l. 16), o segmento “deverá apresentar” (destacado na transcrição) pode ser substituído por “se espera”, desde que se substitua o “que” por “de quem”. Observe-se o trecho já modificado: “de quem se espera nas próximas semanas um esboço...”. Correta a sugestão de reescritura da assertiva III. RESPOSTA: E. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 10 – Emprego de aspas No trecho “O grupo, denominado BTI, sigla de Breaking the Impasse (“Rompendo o Impasse”)...”, a utilização de aspas na expressão entre parênteses ocorre em razão da tradução da expressão inglesa. As aspas, portanto, não estão empregadas como expressão de ênfase. Errada a assertiva I. No trecho “Bibi, sem um acordo não conseguiremos reduzir o custo de vida. Só você pode” (l. 05-06), as aspas estão destacando citação. As aspas, portanto, não estão empregadas como expressão de ênfase. Errada a assertiva II. Quanto ao segmento “De acordo com ele, a campanha é inédita” (l. 09-10), as aspas em “inédita” estão sendo empregadas para emprestar ênfase à expressão. Correta a assertiva III. RESPOSTA: C. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 11 – Ortografia, “porquês” e emprego do verbo “haver” Na lacuna da linha 09, deve aparecer “habitar”. Na lacuna da linha 22, deve aparecer a grafia “por quê”, pois se trata de final de frase, em que se deve utilizar a palavra separada e acentuada. Na lacuna da linha 23, deve aparecer o verbo “haver”, na forma do presente do indicativo: “há”, no singular, porque se trata de verbo impessoal. Observe-se a equivalência semântica com o verbo “existir” (desde que existem jornais). RESPOSTA: D. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 12 – Semântica e interpretação de texto No trecho “Vestia-se com sobriedade: usava uma cueca preta e calçava medonhos tamancos barulhentos” (l. 02-03), o substantivo “sobriedade” (destacado na transcrição) significa moderação, temperança, equilíbrio, seriedade, discrição. Observe-se que, em relação exclusiva ao termo “sobriedade”, pode-se substituí-lo por “discrição”, mas, em relação ao restante do período, seria incongruente utilizar “discrição” em razão dos “medonhos tamancos barulhentos”. No caso, então, a palavra mais adequada para substituir “sobriedade” seria “austeridade” O advérbio “economicamente”, destacado no trecho “Fora isso, o que tinha em cima do corpo era a barba, desenvolvida economicamente, uma barba enorme” (l. 03-04), pode ser substituído por “por economia”, por se tratar de modo. A palavra “bocado”, que vem de porção que cabe na boca, pode ser substituída por “um pouquinho”, mas, no texto, não é essa a ideia a ser passada. No trecho “... um bocado de alemão...” equivale a “um tanto”. RESPOSTA: A. ____________________________________________________________________________ QUESTÃO 13 – Interpretação de texto Observe-se o trecho compreendido entre as linhas 04 a 06: “Parecia um troglodita. O homem alimentava-se mal, espichava-se na cama, roncava o dia inteiro; passava as noites acordado, passeando agitado, fazendo o assoalho ranger, o que provocava a indignação dos outros pensionistas...”. Aí estão, portanto, alguns subsídios que sustentam que Amadeu Amaral Júnior tinha “costumes singulares”, que incluíam uma rotina diária diferente das pessoas comuns. Correta a interpretação contida na opção A. Reportando-se, novamente, ao trecho “Parecia um troglodita. O homem alimentava-se mal, espichava-se na cama, roncava o dia inteiro; passava as noites acordado, passeando agitado, fazendo o assoalho ranger, o que provocava a indignação dos outros pensionistas” (l. 04-06), é possível verificar que, entre os “costumes singulares” de Amadeu Amaral Júnior que provocava a indignação dos hóspedes da pensão, estava o de fazer o assoalho ranger com suas passadas agitadas, e não o fato de alimentar-se mal e dormir o dia inteiro. Errada a interpretação contida na alternativa B. Nos trechos “Leu um tratado de psicologia e trocou-o em miúdos, isto é, reduziu-o a artigos, uns quarenta, que projetou meter em revistas e jornais...” (l. 07-08) e “Escrevo poesias, crônicas, contos (policiais, psicológicos, de aventura, de mistério), novelas, discursos, conferências...” (l. 15-17), encontra-se sustentação para afirmar que Amadeu Amaral Júnior tentava ganhar a vida por vários meios, entre os quais se oferecendo para redigir discursos e conferências. Correta a compreensão contida na alternativa C. O anúncio encontrado pelo autor num semanário trazia o seguinte texto: “Intelectual desempregado. Amadeu Amaral Júnior, em estado de desemprego, aceita esmolas, donativos, roupa velha, pão dormido” (l. 11-12) e, depois, numa declaração do próprio Amadeu Amaral Júnior, em que se lê “Minha situação continua preta. Reitero o apelo às almas bem formadas: deem de comer a quem tem fome, fome atávica...” (l. 14-15). Os dois trechos sustentam a afirmação de que Amadeu Amaral Júnior, pelo menos duas vezes, implorou publicamente por comida e emprego. Correta a interpretação contida na opção D. No trecho “E agora, completamente solidário com ele, admiro a exposição que nos faz das suas aptidões e lamento que não as utilizem. Muita gente se espanta com seu procedimento” (l. 21-22), há sustentação para a afirmação de que os anúncios de Amadeu Amaral Júnior espantaram muitas pessoas, pois não é comum escritores e jornalistas vender seus serviços como produtos. Correta a alternativa E. RESPOSTA: B. ______________________________________________________________________________ QUESTÃO 14 – Interpretação de texto e semântica No trecho “Vestia-se com sobriedade: usava uma cueca preta e calçava medonhos tamancos barulhentos” (l. 02-03), o caráter cômico está em “medonhos tamancos barulhentos”, especialmente em “medonhos”. O trecho da opção A possui, portanto, elemento de comicidade. O segmento “o que tinha em cima do corpo era a barba, desenvolvida economicamente, uma barba enorme” (l. 03-04) apresenta traço de gracejo ou ironia em “economicamente”. O trecho da opção B possui, portanto, elemento de comicidade. Em “mudamo-nos, separamo-nos, perdemo-nos de vista” (l. 10) foi escrito de modo literal, sem conotação ou traço de gracejo ou ironia. O trecho da opção C não possui, portanto, elemento de comicidade. No trecho “Deem-me trabalho pelo amor de Deus ou do diabo” (l. 17-18), a graça está em “por amor de Deus ou do diabo”. O trecho da opção D possui, portanto, elemento de comicidade. Em “O anúncio, pois não. E em duros casos, a propaganda oral, numa esquina, aos gritos. Exatamente como quem vende pomada para calos” (l. 26-27), a comparação do anúncio com quem vende pomada para calos, oralmente, numa esquina, contém traço de gracejo. O trecho da opção E possui, portanto, elemento de comicidade. RESPOSTA: C. ______________________________________________________________________________ QUESTÃO 15 – Identificação de funções sintáticas (sujeito) QUESTÃO RECORRÍVEL No trecho “E agora, completamente solidário com ele, admiro a exposição que nos faz das suas aptidões e lamento que não as utilizem” (l. 21-22), a forma verbal “faz” (destacada na transcrição) tem como sujeito Amadeu Amaral Júnior, pois ele é quem (nos) faz a exposição das suas aptidões e lamentos. Correta a assertiva I. No mesmo trecho “E agora, completamente solidário com ele, admiro a exposição que nos faz das suas aptidões e lamento que não as utilizem” (l. 21-22), o sujeito de “utilizem” (destacado na transcrição) é indeterminado, pois está na terceira pessoa do plural e não há como relacioná-lo às pessoas. Errada a assertiva II. Quanto ao segmento “Os fabricantes anunciam seus produtos, e os sujeitos desempregados costumam, desde que há jornais, dizer neles para que servem” (l. 23-24), o verbo “servir”, em “servem” (destacado na transcrição), tem como sujeito “os sujeitos desempregados”, porque eles é que dizem nos jornais para que servem. Errada a assertiva III. A banca indicou como gabarito a resposta D, em que figuram como corretas as assertivas I e II. Ocorre que, conforme se pode verificar na explicação à afirmação II, o sujeito de “utilizem” é indeterminado, não se podendo associar às pessoas, porque não há, no texto, essa referência. Questão passível de troca de gabarito, de D por A. ______________________________________________________________________________ QUESTÃO 16 – Conjunções No trecho “Quando ficava cansado, sentava-se a uma grande mesa ao fundo da sala e escrevia o resto da noite” (l. 06-07), o nexo “quando” (destacado na transcrição) poderia ser substituído por “se”, embora passasse a determinar ideia de condição à ação de ficar cansado. Quanto ao segmento “Creio que os artigos de psicologia não foram publicados, pois há algum tempo li este anúncio...” (l. 10-11), o nexo “pois” (destacado na transcrição) pode ser substituído por “porque”, mantendo-se a ideia de explicação. No trecho “... fiquei meio escandalizado; mas, refletindo, concluí que o meu velho companheiro procedia com acerto” (l. 20-21), o nexo “mas” (destacado na transcrição), que é coordenativo adversativo, indicando ideia de oposição, pode ser substituído adequadamente por “porém”. RESPOSTA: C. ___________________________________________________________________________ QUESTÃO 17 – Concordância Pluralizando-se “O homem” (l. 04), destacado no trecho “O homem alimentava-se mal, espichava-se na cama, roncava o dia inteiro; passava as noites acordado, passeando agitado, fazendo o assoalho ranger, o que provocava a indignação dos outros pensionistas” (l. 04-06), obtêm-se as seguintes alterações: Os homens alimentavam-se mal, espichavam-se na cama, roncavam o dia inteiro; passavam as noites acordados, passeando agitados, fazendo o assoalho ranger, o que provocava a indignação dos outros pensionistas”. Portanto teriam de ser flexionadas para o plural em razão da concordância sintática outras 6 (seis) palavras. RESPOSTA: B. ______________________________________________________________________________ QUESTÃO 18 – Conjunções A assertiva I sugere a inserção de “Por isso” seguido de vírgula antes de “O homem” (l. 04). Observe-se o trecho integralmente já com a inserção do nexo: “Parecia um troglodita. Por isso, o homem alimentava-se mal, espichava-se na cama, roncava o dia inteiro; passava as noites acordado...”. É possível verificar que a inserção de “Por isso” seguido de vírgula, antes do período iniciado por “O homem...” (l. 04) não é viável, pois “Por isso” é nexo conclusivo e, ao ser inserido, transforma o período anterior na afirmação inicial e o segundo numa oração conclusiva. Não há coerência no resultado da inserção, porque a frase iniciada por “O homem” não é conclusão da afirmação “Parecia um troglodita”. Errada a assertiva I. A assertiva II sugere a inserção de “Por isso” seguido de vírgula antes de “Reitero”, na linha 14. Observe-se que, entre a construção “Minha situação continua preta” e “reitero o apelo às almas bem formadas: deem de comer...” (l. 14), há notória ideia de conclusão, portanto a inserção de “Por isso” seguido de vírgula antes do segundo trecho explicitaria a conclusão. Observe-se: “Minha situação continua preta. Por isso, reitero o apelo às almas bem formadas: deem de comer...”. Correta a assertiva II. A assertiva III sugere a inserção de “Mas” antes de “Não sei por quê.” Observe-se que, entre as construções “Muita gente se espanta com seu procedimento” e “Não sei por quê”, há ideia de oposição, que pode ser explicitada pela inserção de “Mas”. Observe-se a construção com a inserção sugerida: “Muita gente se espanta com seu procedimento. Mas não sei por quê”. Correta a assertiva III. RESPOSTA: E. ______________________________________________________________________________ QUESTÃO 19 – Estrutura e formação de palavras O vocábulo “barulhentos” (l. 03) é adjetivo derivado do substantivo “barulho”. A palavra “indignação” (l. 06) é substantivo derivado de adjetivo “indigno”. Já “barbeiro” (l. 09), no texto empregado como substantivo, é derivado de “barba”, também substantivo. O adjetivo “brasileiro” (l. 19) é derivado de “Brasil”, que é substantivo. O termo “fabricantes”, empregado no texto como substantivo, é derivado do verbo “fabricar”. RESPOSTA: C. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 20 – Acentuação gráfica Na assertiva I, as palavras “hóspedes”, “atávica” e crônicas” são acentuadas por serem proparoxítonas, porque possuem pronúncia forte na antepenúltima sílaba. Observe-se: hós-pe-des, a-tá-vi-ca, crô-ni-cas. Portanto as três palavras da assertiva I são acentuadas em virtude da mesma regra ortográfica. As palavras “anúncio”, “milenária” e “decência” são acentuadas por serem paroxítonas terminadas em ditongo crescente. Observe-se: a-nún-cio, mi-le-ná-ria, de-cên-cia. Portanto as três palavras da assertiva II são acentuadas em virtude da mesma regra ortográfica. A forma verbal “é” é acentuada pela regra das monossílabas tônicas; a contração de preposição “a” com artigo “a” em “às” não é acentuada, porque crase é sinal indicativo de contração, não acento indicador de tonicidade; já a palavra “inglês” é acentuada pela regra das oxítonas. Portanto duas das três palavras da assertiva III são acentuadas em virtude de diferentes regras ortográficas, e o caso da crase não é acento de tonicidade. RESPOSTA: D. ____________________________________________________________________________ QUESTÃO 21 – Concordância verbal e nominal Na lacuna da linha 11, deve aparecer “se implantara”. A colocação pronominal deve ser proclítica, porque o pronome “se” sofre atração do pronome relativo “onde”. A flexão do verbo no singular se deve ao fato de o sujeito ser “um sistema formal de segregação racista”. Observe-se: quem é que se implantara? Resposta: um sistema de segregação racista. Quanto à lacuna da linha 13, deve aparecer “se encontravam”. A colocação pronominal deve ser proclítica, porque o pronome “se” sofre atração do pronome relativo “onde”, de igual forma que no preenchimento da lacuna da linha 11. Já o verbo deve aparecer flexionado no plural, porque o sujeito é “práticas racistas informais”. Observe-se: quem é que se encontrava? Resposta: práticas racistas informais. Na terceira lacuna, linha 21, deve aparecer “seguidos”, no masculino plural, porque tem como referente “episódios”. RESPOSTA: E. ______________________________________________________________________________ QUESTÃO 22 – Interpretação de texto (identificação de referentes) No trecho “Há 50 anos, a Marcha de Washington causava profunda apreensão...” (l. 01), o segmento “Marcha de Washington” não é retomado pela expressão “O movimento”, no trecho “O movimento crescera, e o temor da presidência...” (l. 05-06). A expressão “O movimento” se refere ao apoio ao projeto de lei em que se bania a discriminação racial. Errada a assertiva I. No segmento “O movimento crescera, e o temor da presidência, então em mãos dos Democratas, era que a escalada da violência atingisse um ponto incontrolável, o que seria prejudicial para o futuro político do partido e para a aclamada ...” (l. 05-07), a expressão “(d)o partido retoma o Partido Democrata, que, embora não esteja expresso no texto, pode ser entendido a partir da expressão “(dos) Democratas”. Correta a assertiva II. No trecho “Afinal, desde 1954, quando a Suprema Corte julgara inconstitucional a segregação racista nas escolas, o movimento dos direito civis lutava para assegurar o cumprimento da medida, além de pressionar...” (l. 18-19), o segmento “(d)a medida” retoma o julgamento de inconstitucionalidade da segregação racista nas escolas, não a segregação racista nas escolas. Errada a assertiva III. RESPOSTA: B. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 23 – Interpretação de texto O governo norte-americano do presidente John F. Kennedy não era a favor da discriminação racial e locais públicos, na educação e no emprego, tanto que o projeto de lei em que se bania a discriminação em locais públicos foi encaminhado ao Congresso pelo próprio Kennedy. Observe-se o trecho compreendido entre as linhas 02 e 04. Errada a alternativa A. O governo americano temia que as manifestações pelos direitos civis atingisse um ponto incontrolável, não que pudesse elevar a tensão da Guerra Fria. Observe-se o trecho compreendido entre as linhas 05 a 07. Errada a opção B. O movimento dos direitos civis teve início muito antes de 1963, conforme se pode observar no trecho entre as linhas 18 e 20. Errada a alternativa C. Nos trechos das linhas 11 a 14, pode-se observar que também havia discriminação racial nos estados do Norte americano. Correta a assertiva D. Segundo o texto, Kennedy tentou convencer os líderes do movimento pelos direitos civis a cancelar a Marcha, mas não conseguiu, porque Martin Luther King já havia obtido o reconhecimento, por parte das bases e das lideranças do movimento, de que já não se podia esperar mais, conforme se pode observar do trecho compreendido entre as linhas 14 a 17. Portanto a Marcha não foi cancelada por causa da prisão de Martin Luther King. Errada a assertiva E. RESPOSTA: D. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 24 – Interpretação de texto O primeiro parágrafo retrata as razões da apreensão do governo americano, o que se pode observar pelo segmento compreendido entre as linhas 04 e 08. O segundo parágrafo, pelo que se pode observar da leitura especialmente do trecho compreendido entre 14 a 17, retrata o crescimento das manifestações antirracistas. Já o terceiro parágrafo do texto se ocupa, principalmente, com a descrição do clímax das manifestações antirracistas, o que se pode ver, especialmente, no trecho compreendido entre as linhas 20 e 25. RESPOSTA: C. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 25 – Semântica No trecho “O evento, promovido pelo movimento dos direitos civis, pretendia dar apoio a um projeto de lei em que se bania a discriminação...” (l. 02-03), o termo “bania” (destacado na transcrição) pode ser substituído por “proibia”. O adjetivo “aclamada”, destacado no trecho “... o que seria prejudicial para o futuro do partido e para a aclamada democracia norte-americana...” (l. 07-08), pode ser substituído por “elogiada”. Já o termo “formal”, destacado no trecho “... um sistema formal de segregação racista...” (l. 11-12), pode ser substituído por “oficial”. RESPOSTA: E. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 26 – Interpretação de texto Conforme se depreende da leitura do 1º parágrafo, em especial entre as linhas 02 e 04, o governo americano, mesmo que não desejasse a realização da Marcha de Washington, por questões de segurança, era sensível às demandas do movimento pelos direitos civis, tanto que um projeto de lei que bania a discriminação racial em locais públicos, na educação e no emprego, foi encaminhado pelo próprio presidente Kennedy ao Congresso americano. Correta a assertiva I. Não há, no texto, subsídios para que se sustente a afirmação de que o sistema de segregação racial estabelecidos nos estados do Sul foi efetivamente reconhecido pela Suprema Corte americana. Errada a assertiva II. O discurso de Martin Luther King na Marcha de Washington teve grande impacto nacional, mas, segundo o texto, não foi ele quem havia convencido as lideranças e as bases do movimento dos direitos civis de que causa não podia esperar mais. Martin Luther King havia, segundo o texto, em especial nas linhas 15 a 17, obtido o reconhecimento de que não se podia esperar mais para a realização da Marcha. Errada a assertiva III. RESPOSTA: A. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 27 – Reescritura e equivalência O trecho “(...) o temor da presidência (...) era que a escalada da violência atingisse um ponto incontrolável, o que seria prejudicial para o futuro político do partido e para a aclamada democracia norte-americana (...) (l. 06-08) foi reescrito três vezes com propostas diferentes. Na assertiva I, há equivalência de sentido com a redação original, porque “atingisse” manteve o sentido na forma verbal “pudesse atingir”; o emprego do pronome demonstrativo “isso” na redação nova equivale a “o que” no original; e, finalmente, o “e” utilizado na redação original para adicionar dois elementos foi substituído por “não apenas ... ... mas também”, que mantém a ideia de adição. Quanto à assertiva II, também há equivalência com o trecho original, porque “atingisse”, no trecho do texto, tem igual sentido a “viesse a atingir”, na redação nova; num segundo momento, o “e” utilizado na redação original para adicionar dois elementos foi substituído por “tanto para... quanto para”, que mantém a ideia de adição. A assertiva III, porém, apresenta proposta que não conserva o sentido original da mensagem, porque “atingisse” não se equivale a “tivesse atingido”, com ideia de passado, quando, no texto base, a ideia é de temor futuro. Além disso, deveria ser registrada vírgula antes de “mas” nesta nova redação. RESPOSTA: C. ________________________________________________________________________ QUESTÃO 28 – Colocação pronominal Na construção “em que se bania” (l. 03), o “que” atrai para si o pronome oblíquo átono “se”, não sendo correta a construção “em que bania-se”. Errada a proposta da assertiva I. Em “chegou a se reunir” (l. 14), a colocação pronominal em próclise a “reunir” pode, também, ser construída em ênclise ao mesmo verbo: “chegou a reunir-se”. Correta a proposta da assertiva II. Na construção “já não se podia mais esperar” (l. 17), há elemento de atração no advérbio de negação “não”, o que faz o pronome oblíquo átono “se” aparecer em próclise. Não é correta a construção “Já não podia mais esperar”. Errada a proposta da assertiva III. RESPOSTA: B. ______________________________________________________________________________ QUESTÃO 29 – Pontuação A vírgula que segue “no emprego”, (destacada na transcrição) no trecho “... pretendia dar apoio a um projeto de lei em que se bania a discriminação em locais públicos, na educação e no emprego, encaminhado ao Congresso...” (l. 02-03), não pode ser eliminada, porque é a segunda vírgula do isolamento do adjunto adverbial deslocado “na educação e no emprego”. Ou se retiram as duas vírgulas, ou nenhuma. Errada a proposta contida na opção A. No trecho “O ano de 1963, que mal chegava à sua primeira metade, havia sido especialmente quente...” (l. 09), a oração “que mal chegava à sua primeira metade” é subordinada adjetiva explicativa, cujas vírgulas que a isolam não podem ser suprimidas. Errada a proposta da alternativa B. No segmento “A princípio restrita aos estados sulistas, onde se implantara desde o final do século 19 um sistema formal de segregação racista em escolas, transportes e locais públicos em geral, as manifestações começavam a ganhar as cidades do norte...” (l. 11-13), a oração “onde se implantara desde o final do século 19 um sistema formal de segregação racista em escolas, transportes e locais públicos em geral” é subordinada adjetiva explicativa, cujas vírgulas que a isolam não podem ser suprimidas. Errada a proposta da alternativa C. No trecho “Diante do crescimento das manifestações, Kennedy chegou a se reunir com líderes do movimento dos direitos civis para pedir o cancelamento da marcha. Mas Martin Luther King, Jr., ministro de uma igreja batista de Atlanta, já havia obtido o reconhecimento, por parte das bases e lideranças do movimento, de que já não se podia mais esperar” (l. 14-17), a substituição do ponto final que segue “cancelamento da marcha” por vírgula, com a devida alteração de maiúscula por minúscula, é correta e não altera o sentido original dos trechos, porque a oração iniciada por “Mas” é coordenada sindética adversativa, podendo compor, com o período anterior, um só período composto. Observe-se: “Diante do crescimento das manifestações, Kennedy chegou a se reunir com líderes do movimento dos direitos civis para pedir o cancelamento da marcha, mas Martin Luther King, Jr., ministro de uma igreja batista de Atlanta, já havia obtido o reconhecimento, por parte das bases e lideranças do movimento, de que já não se podia mais esperar”. Correta a proposta contida na opção D. No trecho “As fotos que circulavam na mídia contribuíram para firmar uma imagem vergonhosa da democracia norte-americana: policiais com cassetetes instigavam cães contra os manifestantes negros, enquanto a Ku Klux Klan lançava bombas nas casas de líderes do movimento e cometia outras atrocidades contra pessoas negras” (l. 22-25), os dois-pontos introduzem uma explicação à “imagem vergonhosa da democracia norte-americana”, não podendo, portanto, ser substituídos por ponto-e-vírgula, pois a sequência não permaneceria com caráter explicativo, alterando o sentido original da mensagem. Errada a proposta contida na opção E. RESPOSTA: D. _________________________________________________________________________ QUESTÃO 30 – Vozes verbais QUESTÃO RECORRÍVEL A forma “em que se bania” pode ir para a passiva analítica, caso em que apresentará a construção “em que era banida”. O verbo “banir” é transitivo direto, portanto tem passiva. A própria estrutura em que se encontra está na passiva sintética. A construção presente na assertiva I pode ser convertida, portanto, em passiva analítica. A estrutura “projetava-se” pode ir para a passiva analítica na forma “era projetada”. O verbo “projetar” é transitivo direto, portanto tem passiva. A própria estrutura em que se encontra está na passiva sintética. Observe-se: “Mas o sonho de convivência integrada entre negros e brancos projetava-se (...) como pesadelo para o governo” (l. 04-05), cuja construção, na voz passiva analítica, terá a seguinte forma: “Mas o sonho de convivência integrada entre negros e brancos era projetado (...) como pesadelo para o governo” A construção presente na assertiva II pode ser convertida, portanto, em passiva analítica. O verbo “reunir”, acompanhado pelo “se”, exige preposição “com”, como está presente no texto: “... a se reunir com líderes...”. Portanto, trata-se de verbo transitivo indireto e, como tal, não pode ir para a passiva. A construção presente na assertiva III não pode ser convertida, portanto, em passiva analítica. A banca indicou como correta a alternativa A, ignorando que a cosntrução em que se encontra “projetava-se” pode ir para a passiva analítica, conforme se pode observar pelas explicações em relação à assertiva II. Questão recorrível e passível de troca de gabarito de A para D. ______________________________________________________________________________ HÁ RECURSOS CONTRA AS QUESTÕES 1, 6, 15 e 30. VEJA ARGUMENTAÇÕES NOS COMENTÁRIOS ESPECÍFICOS DE CADA QUESTÃO RECORRÍVEL. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É vedada a reprodução total ou parcial deste material, por qualquer meio ou processo. A violação de direitos autorais é punível como crime, com pena de prisão e multa (art. 184 e parágrafos do Código Penal), conjuntamente com busca e apreensão e indenizações diversas (arts. 101 a 110 da Lei nº 9.610, de 19/02/98 – Lei dos Direitos Autorais). Publicado no saite do CPC (WWW.cpcrs.com.br) e no blog professormenegotto.blogspot.com.br. Cópias disponíveis na Loja Copystar, na sede do CPCRS